Empresários afetados pelas enchentes de 2023 voltam às atividades com o apoio do Estado

Chazana Sandri, do município de Aurora, viu a loja que foi fundada pela mãe ser levada pela água e ser salva via recursos do Pronampe. Foto: Foto: Tiago Ghizoni / SECOM

Por: Pedro Leal

04/03/2024 - 17:03 - Atualizada em: 04/03/2024 - 17:29

Após as enchentes de outubro e novembro de 2023 muitos empresários catarinenses já tiveram acesso às linhas de crédito do Pronampe Emergencial SC. O programa é gerido pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e alcançou a meta de contratações voltadas para micro e pequenas empresas catarinenses. Ao todo, foram financiados R$ 140 milhões, com recursos para 1.083 empreendedores em 87 municípios afetados pelas enchentes.

Wellington Pires foi um dos empresários que buscou apoio com o financiamento oferecido pelo Governo do Estado. A empresa do Wellington que fica em Rio do Sul foi duramente castigada pelas chuvas. O escritório de contabilidade foi atingido pela enchente que destruiu móveis, equipamentos eletrônicos e documentos dos clientes.

“Foram mais de três meses com a empresa fechada, só no atendimento on-line e pela unidade de Ituporanga dando o suporte. Eu tenho dez colaboradores na empresa e precisava reabrir o escritório. Foi quando procurei a linha de crédito do Estado, por meio do Pronampe. Alguns dias depois eu já tive acesso ao valor e pude garantir a reforma para a reabertura da empresa”, ressalta o empresário Wellington Pires.

O Governo de Santa Catarina subsidiou 50% e 100% da taxa de juros nos municípios com decreto de emergência ou estado de calamidade pública, respectivamente. Além dos prazos de pagamento e carência que também foram estendidos pelo Banco. Uma ajuda que veio em boa hora para a empresária Chazana Sandri do município de Aurora. Ela que assumiu a loja que foi fundada pela mãe viu a água levar parte do seu sonho. Mas, não desistiu e buscou a linha de crédito junto ao BRDE.

“Em outubro a gente estava acompanhando os alertas de chuva intensa. Em outubro a nossa loja não foi afetadas, mas com as chuvas de novembro o nível do rio subiu e a água invadiu o meu comércio. Só com mobília e com os produtos eu tive um prejuízo de aproximadamente R$ 80 mil reais. Foi pelo Pronampe Emergencial que eu pude garantir a reforma da loja e voltar ao trabalho”, ressalta a empresária.

Ao todo, foram 15 municípios atendidos com 100% do subsídio dos juros, com um montante de financiamento na ordem de R$ 71,3 milhões. Foram 556 micro e pequenas empresas atendidas nas cidades que decretaram calamidade pública pelo Pronampe Emergencial SC.

O BRDE e o Governo do Estado iniciaram as tratativas para uma nova fase do programa em 2024. A ideia é tornar o Pronampe SC uma ação permanente de ajuda aos micros e pequenos empresários em Santa Catarina. A proposta inclui condições diferenciadas para os municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), além de beneficiar setores como inovação e produtores rurais.