Com uma das filiais em Florianópolis, a plataforma de construção de sites Duda, cuja matriz é no vale do Silício, recebe nesta terça-feira R$ 250 milhões (US$ 50 milhões) em quarta rodada (série D). O aporte é da empresa israelense de investimentos Claridge IL e é acompanhado dos atuais investidores da empresa, o Susquehanna Growth Equity (SGE) e o Vintage Investment Partners. As informações são da Coluna de Estela Benetti, na NSC.

Com a rodada, a empresa soma US$ 100 milhões em investimentos. Os novos recursos serão usados para crescer, especialmente na América Latina, partindo da unidade de Florianópolis, liderada pela vice-presidente da Duda para a região, a catarinense de Lages Alessandra Sadan.

Segundo ela, a unidade de SC conta com 16 colaboradores e o plano é dobrar até o ano que vem. Em nível mundial, a plataforma conta, atualmente, com mais de 1 milhão de sites pagantes publicados.

Atualmente, a empresa conta com cerca de 17 mil clientes, entre eles agências de marketing digital, plataformas de software como serviços (SaaS) e grandes empresas de sistemas em white-label (branco).

Uma das soluções apresentadas pela Duda durante a pandemia foi a ampliação de parceria com plataformas de software como serviço, o que permitiu aos clientes e usuários construir sites integrados aos seus produtos e serviços.

Fundada em 2009 por dois profissionais do setor de tecnologia em Palo Alto, Califórnia, a Duda tem filiais em Israel, Londres, Lousville (Colorado – EUA) e em Florianópolis. A unidade brasileira respondeu por 12% do faturamento no ano passado. Para Itai Sadan, cofundador e CEO da scale-up, com esse financiamento adicional, será possível acelerar crescimento.