O número de pessoas que moram sozinhas só cresce no Brasil. Ao longo da última década, esse total quase dobrou, passando dos dez milhões, com pouco mais da metade dos moradores sendo mulheres. As razões são muitas e uma é a busca pela independência.

Mas, para elas, a liberdade costuma esbarrar em dificuldade, principalmente, quando se precisa contratar serviços majoritariamente masculinos, como os de construção.

Com os prestadores, em sua maioria, sendo homens, é comum se sentir vulnerável.

Conforme a engenheira Cristiane Marian, as histórias nesse sentido se amontoam no dia a dia de projetos e visitas a obras e reformas.

“Já tive muitas clientes que tiveram problemas e, hoje, não se sentem seguras”, destaca.

É para mudar essa realidade que começa a ganhar força um movimento de mulheres profissionais no segmento.

Na Womma Engenharia, por exemplo, o objetivo é dar autonomia a elas, seja escolhendo prestadoras de serviços ou contando com uma equipe feminina responsável pela execução.

Segundo Cristiane, a empresa nasceu, em 2019, após se deparar com mulheres tocando sozinhas suas obras residenciais ou em negócios dos mais variados setores.

“Nelas, vi todas passarem por situações que me trouxeram vários questionamentos. Percebi que muitas ficavam com receio de manifestar opinião ou fazer alguma objecção por, muitas vezes, não serem ouvidas”, explica.

Buscando uma realidade diferente, a marca foca em ajudar as clientes a vivenciar uma construção ou reforma de forma tranquila e com o método totalmente transparente e, em geral, executado por mulheres.

Atualmente, a Womma Engenharia possui equipes mistas, com pedreira e ajudante homem, eletricista e ajudante acompanhado de pintora, e outras completamente femininas, o que também garante a elas acesso a esses ambientes de trabalho.

De acordo com a engenheira, muitas profissionais de obra acabam tendo dificuldades de inserção no mercado.

“Quando perdem um parceiro ou precisam trabalhar só restam a elas fazer faxina ou cuidar de criança. Por que elas não podem construir, inclusive, ganhando mais? Muitas não o fazem por falta de oportunidade”, resume.

Com sede em Florianópolis, a Womma Engenharia atende também cidades como Mafra e Rio Negro, com expansão para o Estado de São Paulo.

“O nosso intuito é levar a marca e esse conceito para outras regiões do país”, adianta.