A diretoria da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) realizou a primeira reunião do ano na tarde desta quinta-feira (21).

A entidade recebeu os presidentes das associações empresariais e o secretário de Estado de Saúde, André Motta Ribeiro, que traçou um panorama da pandemia e explicou sobre o plano de vacinação em Santa Catarina.

Ainda em um quadro de número alto de casos da Covid-19, o secretário pediu que a Facisc e as associações empresariais incentivem o Carnaval seguro, para garantir a qualidade de retorno às aulas e retorno total das atividades comerciais.

O secretário ainda alertou sobre as características da transmissão no Brasil são diferentes do resto do mundo, minimizando o quadro de contágio do estado.

“A manifestação da doença com picos cada vez mais altos de casos, mas também número de recuperados cada vez mais altos”. São 17 mil casos ativos atualmente. O estado soma um total de 6.036 óbitos, após registrar 48 mortes em 24 horas por conta da pandemia de coronavírus.

Segundo o boletim divulgado pelo governo, são 552.310 pessoas infectadas no estado. Do total de contaminados, quase 529 mil conseguiram se recuperar da doença.

A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública está em 77,6%. Na quarta (20), era de 77,97%.

Ribeiro explicou que de 548 leitos de UTI no SUS disponibilizados em Santa Catarina, o Estado estruturou mais 790 leitos com a pandemia.

“Nenhum catarinense sofreu com falta de acesso à saúde em SC”.

O secretário explicou que quase 600 mil casos confirmados em Santa Catarina. “Estimamos que este número é de quatro a cinco vezes maior, o que equivale a quase metade da população catarinense, ou seja, cerca de 50% da população catarinense hoje já está positivada”.

Facisc diz que não é momento para carnaval

Com a possibilidade de um terceiro pico ainda mais forte, o presidente da Facisc, Sérgio Rodrigues Alves, alertou que não há razão nenhuma de falar em Carnaval, mas que é um momento que a rede hoteleira e setor de eventos, que já foram os maiores prejudicados, possam atuar.

“Não podemos ser radicais, mas temos que ter uma situação de controle para não termos prejuízos para a saúde”.

Uma sugestão do presidente da Facisc foi reforçar as campanhas de cuidados.

O secretário explicou que em outubro foi detectada a necessidade de readequação da matriz de risco e entre eles foi a importância do diagnóstico precoce e atendimento primário.

“Procuramos criar regras para todas as atividades para não propiciar as irregularidades”.

Também anunciou que está sendo realizada uma releitura das portarias e decretos, que será apresentada em breve uma abreviação de todos os documentos publicados até o momento. Ele também explicou sobre o plano de vacinação. Foi estruturada toda a rede primária para a oferta da vacina.

A entidade comemora em 2021 seus 50 anos de fundação e na reunião foi dado o passo inaugural da comemoração do cinquentenário.

A diretora de Marketing, Ciça Muller, apresentou a logomarca comemorativa e convidou todos para compor um grupo consultivo para pensar o que se quer dos 50 anos da Federação.