Seguindo tendência negativa em junho e julho - que viram perda de 71 e 109 postos de trabalho com carteira assinada, respectivamente - Jaraguá do Sul encerrou o mês de agosto com o pior resultado do ano na geração de emprego, encerrando o mês com perda real de 406 postos de trabalho formais. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego ao final desta sexta-feira (21).

O mês registrou 2.013 admissões e 2.049 desligamentos. O resultado do ano, no entanto, segue fortemente positivo, em 1.819 empregos. No acumulado dos últimos doze meses, também segue positivo, em 441 postos de trabalho.

O resultado negativo foi puxado intensamente pela indústria, que registrou a a perda de 308 postos de trabalho no mês de agosto, em conjunto com o comércio, que registrou perda de 71 postos de trabalho, e a construção civil, com saldo negativo de 44 postos. Só dois setores registraram saldo positivo: Serviços, com 8, e administração pública, com 13.

A nível nacional, foram gerados 110.431 postos de trabalho formais e apenas a Agricultura apresentou mais demissões do que contratações em agosto. Os demais setores da atividade econômica, como indústria, serviços, construção civil e comércio, registraram saldo positivo no número de admissões, em comparação com o de desligamentos.

A expansão do nível de emprego no setor foi de 66 mil postos de trabalho. Os sete setores com resultado positivo foram: extrativa mineral, indústria de transformação, serviços industriais de utilidade pública, construção civil, comércio, serviços e administração pública.

Quer receber as notícias no WhatsApp?