O Conselho Municipal de Desenvolvimento Socioeconômico (DEL) de Gaspar, com apoio da Prefeitura do Município, promove uma campanha para o mês das costureiras. Desde o início da pandemia, muitas pessoas vêm sofrendo com consequências que afetam a saúde, a economia e o mercado de trabalho. Este ano, a campanha terá como foco as histórias de superação vivenciadas nesta época por estas mulheres. Uma comissão formada por membros do DEL irá selecionas as melhores histórias e premiar as costureiras com um Dia de Deusa.

A ação premiará três profissionais da costura que passaram por algum momento difícil neste ano de pandemia, mas que o superaram e conseguiram continuar vivendo da costura. Para concorrer, as costureiras devem enviar um vídeo, de no máximo 1 minuto, contando a sua história de superação para o WhatsApp (47) 3331-6384. Os vídeos podem ser enviados até o dia 31 de maio. Na mensagem é necessário enviar também o nome completo, idade e empresa ou onde trabalha.

A Comissão da Câmara Têxtil do DEL irá avaliar todos os vídeos e destacar os três melhores. As vencedoras ganharão um dia de transformação, corte de cabelo, hidratação, pedicure, manicure, make, dicas de beleza e cuidados pessoais. É uma homenagem simbólica a quem tanto merece.

Gaspar é a Capital Catarinense da Moda Infantil e busca o título de Capital Nacional da Moda Infantil. Outra ação recente neste contexto é o site Costurando Gaspar, lançado pela Associação das Micro e Pequenas Empresas de Gaspar e Ilhota (AMPE) e Secretaria de Desenvolvimento Econômico (DEL). O site conecta e oferece gratuitamente costureiras (os) a novos trabalhos, empresas com vagas disponíveis e venda de insumos, além de destaque para as vagas do Sine.

“Nosso papel é destacar a importância que estes trabalhadores têm, pois é um ofício tão cultural e que às vezes fica esquecido. As costureiras merecem essa homenagem", comenta o prefeito Kleber Wan-Dall.

Livro de memórias

Em paralelo à campanha, o Instituto Federal de Santa Catarina de Gaspar (IFSC) se reuniu com as entidades para organizar um outro projeto, um livro que deve contar as histórias que envolvem o movimento têxtil no município. Mas para fazer este registro histórico a colaboração da comunidade é primordial. Portanto se pede para quem possuir fotos que registram esses momentos iniciais, das primeiras indústrias têxteis, entre em contato no telefone (47) 3318-3701. Valem os registros dos locais e industrias entre os anos 1900 e 1970. Ou de peças de vestuário até o ano de 1960.

Receba as notícias de Blumenau e região pelo WhatsApp clicando aqui.