Segundo a Pesquisa Trimestral de Desempenho realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor de franquias um crescimento de 7% no 1º trimestre de 2019. O faturamento  para o período passou de R$ 38,762 bilhões para 41,464 bilhões.

Em Santa Catarina, o setor de franquias fechou 2018 com crescimento de 22% no número de redes (passou de 447 para 546), o maior registrado no país – onde a média ficou em apenas 1,1%, segundo a ABF.

Jaraguá do Sul não fica atrás e também registra crescimento em passos largos, entre franquias "de rua" e lojas no shopping. Segundo o gerente de Vendas e Marketing do Jaraguá do Sul Park Shopping, Marcos Paulo Souza, o setor de franquias tem alta demanda no estabelecimento.

"Temos alguma procura pelas chamadas multimarcas, mas em sua maioria são investidores em busca de abrir uma franquia, pois assim já contam com presença e uma segurança maior", explica.

Foto Divulgação

Pertencente ao grupo Tenco, o shopping trabalha com uma política de prospecção de marcas potenciais para o shopping - o que agiliza a abertura de lojas franqueadas. Com isto , marcas interessadas já definem suas necessidades para o shopping, o grau de investimento necessário e a necessidade de espaço. "Assim só falta o investidor entrar com o dinheiro e assinar o contrato", explica.

Atualmente, o Shopping tem quatro marcas confirmadas para abrir nos próximos meses - começando pela calçados Melissa na segunda metade de julho. Outras estão prospectadas, mas o espaço tem se tornado restrito.

"Estamos com cerca de 90% do espaço ocupado. Na praça de alimentação resta apenas um ponto aberto, e não temos mais possibilidade para as chamadas 'âncoras'", explica.

Desafios de abrir uma franquia

Fora do Shopping, o franqueado do Brasileirinho Delivery em Jaraguá do Sul, Antônio Costa Neto, se demonstra impressionado com a aceitação inicial. "Tínhamos um receio com a cultura de Jaraguá, mas estamos conseguindo passar por este entrave, claro que sempre tem o 'boom' inicial, então o desafio é manter os clientes e o nível de satisfação", comenta.

Segundo o empresário, um grande desafio para a abertura de uma franquia é manter um crescimento saudável. "Como trabalhamos com entregas, temos uma responsabilidade muito grande com preparar e entregar tudo com agilidade. Uma única entrega atrasada pode nos afetar mais do que outras 90 na hora", explica.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Este fator, diz Neto, é motivo para evitar um crescimento rápido demais. "Se crescermos mais do que a demanda, teremos custos que não podemos cobrir, mas se buscarmos uma fatia muito grande muito cedo, não seremos capazes de atender", nota.

De acordo com o empresário, o espaço atual comporta capacidade para aumentar a oferta - e a logística pode ser sanada com mais motoqueiros. "Estamos impressionados com a procura nestes primeiros dois meses, mas o desafio é manter de forma saudável", finaliza.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

Telegram  

Facebook Messenger  

WhatsApp