A draga Galileo Galilei, responsável por fazer o trabalho de trazer a areia nova para a recuperação da Praia Central de Balneário Camboriú, chegou ao Brasil nesta terça-feira (17).

Vinda do Oriente Médio, a draga está no porto de Rio Grande (RS) onde será nacionalizada e navegará, então, para Balneário Camboriú. Tão logo chegue na cidade, a Galileo Galilei carregará sua cisterna com areia proveniente de jazida situada a 15 quilômetros da costa com areia similar à da Praia Central de Balneário Camboriú.

Na enseada da Praia Central, a tubulação já está pronta e posicionada para se conectar à draga e começar o preenchimento da faixa de areia que passará dos atuais 25 metros, em média, para 70 metros, uma vez estabilizada. Esta é uma obra de recuperação e proteção costeira desejada há décadas por Balneário Camboriú.

A draga Galileo Galilei tem capacidade de 18 mil metros cúbicos de areia em sua cisterna, mas nesta obra de Balneário Camboriú, cada viagem trará de 10 a 12 mil metros cúbicos por ciclo. Pelos cálculos dos engenheiros serão quatro descargas da draga por dia.

Na praia, homens e máquinas farão o trabalho de espalhar a areia nova, que, no primeiro momento o material será mais escuro, mas a medida que vai secando e pegando sol, vai ficando mais clara até chegar na cor da praia atual.

A previsão para término da atividade de dragagem e preenchimento da praia esta dentro do cronograma que é final de outubro deste ano.