Influenciado por fatores domésticos e internacionais, o dólar, que na segunda-feira (5) tinha tido a maior queda diária em cinco semanas, voltou a subir nesta terça-feira (6) e encostou na barreira de R$ 5,60.

A bolsa de valores fechou com queda, após iniciar o dia em alta. Nesta quarta-feira, abriu a R$ 5,57.

O dólar comercial encerrou esta terça-feira (6) vendido a R$ 5,598, com valorização de R$ 0,029 (+0,52%). A divisa operou em queda na maior parte do dia. Na mínima da sessão, por volta das 12h, chegou a ser vendida a R$ 5,48. A cotação, no entanto, reverteu o movimento.

A alta foi influenciada por uma decisão do presidente norte-americano, Donald Trump. Em postagem na rede social Twitter, Trump anunciou a suspensão das negociações para a votação de um novo pacote de estímulos nos Estados Unidos até depois das eleições de novembro.

No Brasil, a cotação foi influenciada pelo anúncio de que a apresentação do Renda Cidadã, que seria nesta quarta-feira (7), foi adiada para a próxima semana.

A reversão de expectativas também afetou o mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), fechou esta terça-feira aos 95.615 pontos, com recuo de 0,49%.

O indicador começou o dia em alta, chegando a subir quase 1,4% durante a manhã, mas passou a cair após a postagem de Trump.

Todos os três principais índices de ações dos Estados Unidos viraram bruscamente para baixo com o congelamento das negociações para o pacote de estímulos.

Em Wall Street, o Dow Jones (das empresas industriais) caiu 1,34%, o S&P 500 perdeu 1,4% e o Nasdaq (das empresas tecnológicas) caiu 1,57%.

Com informações da Reuters.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul