DNIT atualiza classe empresarial sobre BR-280 e anuncia novas liberações de trechos duplicados

Foto: Caroline Stinghen

Por: Pedro Leal

08/03/2024 - 16:03 - Atualizada em: 08/03/2024 - 16:53

O superintendente regional do DNIT, Alysson Rodrigo de Andrade, participou no dia 6 (quarta-feira) da primeira reunião deste ano da vice-presidência regional da Facisc– Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina, no Centro Empresarial de Jaraguá do Sul.

No encontro, o engenheiro responsável pelo DNIT no estado fez um relato das obras de infraestrutura que estão sendo executadas em Santa Catarina, com destaque para os investimentos em melhorias na malha rodoviária, como o projeto de duplicação da BR-280.

O superintendente regional detalhou o estágio da obra nos três trechos que totalizam pouco mais de 74 quilômetros entre o porto de São Francisco do Sul e Jaraguá do Sul, no sentido Corupá. Segundo explicou, o projeto segue utilizando os recursos disponíveis, mas com desafios para que novas liberações sejam feitas pelo Ministério da Infraestrutura, o que requer esforços para aportes por meio de emendas da Bancada Parlamentar Catarinense. Os empresários comentaram que falta de previsibilidade e de planejamento financeiro são motivos de preocupação quanto a uma maior celeridade de uma obra vital para o desenvolvimento regional e para a economia catarinense.

Dos três lotes, a condição que apresenta menos volume de obras, conforme o relato, é do trecho de 36,6 quilômetros a partir do terminal portuário até a interseção com a BR-101. Do planejamento de serviços em 2023 houve a necessidade de ajustes principalmente na região do contorno de São Francisco e na altura do Instituto Federal Catarinense, em Araquari. No planejamento para este ano, também está prevista a inclusão de uma ciclovia ao longo da malha neste lote, entre outros estudos para readequação do projeto.

O lote 2, com 14,1 quilômetros do trevo com a BR-101 a Guaramirim, concentra um volume maior de serviços e a expectativa do DNIT é de avanço no primeiro semestre, com previsão de liberação até maio de mais 6 quilômetros entre os quilômetros 49,1 e 50,7, porém, em segmentos diferentes. Estes trechos se juntam à primeira liberação para o tráfego, de 1,6 quilômetros, em junho do ano passado.

O lote 2.1, com 23,9 quilômetros entre Guaramirim e Jaraguá, que inclui o contorno, também tem previsão de conclusão nos próximos meses de 2,6km e três obras de arte, além dos serviços no túnel do Morro do Vieira.

De acordo com Alysson Andrade, os investimentos realizados de janeiro a novembro representam o maior volume de recursos em um ano desde o início da obra, que já dura mais de uma década. No ano passado, o governo federal investiu R$ 225,7 milhões.

Facisc vai monitorar pleitos regionais com o Voz Única

Na plenária regional o presidente Elson Otto falou das metas da gestão que recentemente foi empossada, e do desafio de ampliar a representatividade do setor produtivo por meio das Associações Empresariais. O vice-presidente regional Norte, Paulo César Chiodini, ex-presidente e atual conselheiro da ACIJS, reforçou a importância das Associações estarem integradas e fortalecidas. O empresário assinalou que a regional irá atuar fortemente no monitoramento dos pleitos apresentados ao poder público através do Voz Única, documento que reúne demandas para assegurar o desenvolvimento do estado em todas as regiões.

“As empresas sofrem muito com a ineficiência do sistema de logística, especialmente com os problemas de infraestrutura da malha rodoviária”, reitera Paulo Chiodini. Segundo ele, o custo operacional muito elevado preocupa o setor empresarial, além da questão da segurança dos usuários da rodovia. “Esta é a grande pauta da Federação e das Associações dentro da agenda de representatividade”, completa.

A presidente da Acijs e do Centro Empresarial de Jaraguá do Sul, Ana Clara Franzner Chiodini, que conclui a gestão em 26 de março e na nova diretoria da Facis vai responder pela pasta de Articulação Estratégica, também pondera sobre a importância da região atuar de forma integrada. “Em Jaraguá atuamos de maneira muito sinérgica com o poder público e setores organizados da sociedade civil, este trabalho com os demais municípios fortalece o ecossistema e traz resultados para todos”, avalia.

Participaram da plenária, além da diretoria e equipe da Acijs , e da presidente eleita Caroline Obenaus Cani, representantes dos municípios que formam a regional Norte da Facisc: Araquari, Corupá, Guaramirim, Itapoá, Joinville, Schroeder, Garuva, São Francisco do Sul e Massaranduba.