Concebida com o objetivo de oferecer uma única escola para toda a formação básica do estudante, a rede integrada por Sesi e Senai prioriza o ensino da ciência, tecnologia, engenharia, arte e matemática, a chamada metodologia STEAM.

A nova escola já nasce adaptada ao cenário de pandemia, com ensino híbrido, que alia as atividades virtuais com as presenciais, e priorizando a aprendizagem baseada na solução de problemas.

A proposta é oferecer ao estudante uma jornada de ensino completa – do infantil ao médio – que será implantada gradualmente nas unidades do Sesi e do Senai.

Mario Cezar de Aguiar, presidente da Fiesc | Foto Divulgação Acij

“A rede Sesi - Senai está mudando para formar profissionais cada vez mais preparados para o futuro da indústria. Para isso, precisamos repensar o ensino com movimentos voltados para o trabalho, para a vida e para os complexos desafios do século 21”, salienta o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar. “Queremos ser referência em educação no nosso estado e que o estudante complete o ciclo da educação básica na Escola S”, frisa.

A ampliação dessa oferta já começou este ano, com a disponibilidade de turmas do ensino fundamental (anos iniciais) em Lages e Videira. Em 2021, Joinville passa a oferecer os anos iniciais do fundamental e, Concórdia, os anos finais.

Competências para o futuro

O alinhamento constante às tendências internacionais em educação permite ao estudante da Escola S desenvolver competências essenciais para o futuro. Essa premissa também é refletida na proposta pedagógica inovadora e singular que será aplicada.

“São metodologias ativas, que fazem do aluno o principal agente de sua trajetória acadêmica e, do professor, um guia constante e atento às formações que podem ser trilhadas pelo estudante”, explica o diretor de educação e tecnologia da Fiesc, Fabrizio Machado Pereira.

A aprendizagem remota será uma grande aliada, lembra o diretor. “Ela está sendo imperativa nesse processo da pandemia por motivos óbvios e acabará sendo vital para a continuidade de algumas propostas”, acrescenta.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp