Está evidente, está nas nossas mãos, mas algumas pessoas e empresas ainda não perceberam o potencial da disrupção e da inovação e a necessidade de utilizá-las como ferramenta para sua vida e seus negócios, sob pena de sucumbir.

Em relação aos negócios, não há dúvidas que quem não entender a nova dinâmica vai ser devorado pelos concorrentes mais atentos. E não dá mais para menosprezar o concorrente pequeno. A atual realidade não é favorável ao maior, ao mais forte e ao mais rápido, ou apenas ao que se adaptar melhor. Essa realidade privilegia quem se adapta melhor E mais rápido.

Dois exemplos para ilustrar.

O Uber nasceu em 2009 e hoje, dez anos depois, revolucionou o mercado de transporte público individual. Criou um círculo virtuoso. Táxis tiveram que se rever seus conceitos, novos aplicativos surgiram, os veículos autônomos estão chegando, bicicletas e patinetes começaram a ser compartilhadas, e o próprio Uber está continuamente se reinventando.

Para quem viu, como eu lá em 1994, os primeiros aparelhos celulares, verdadeiros tijolos, e depois o domínio da Nokia nos anos 2000, tendo 65% de participação no mercado de celulares em 2007, líder absoluta, era quase impossível imaginar, que outro aparelho, lançado naquele ano, iria desbancá-la. Junte-se a isso o Androide da Google (lançado em 2008). Foi o suficiente para a Nokia ver o chão no mercado de celulares, diminuindo sua fatia para 6% em 2010.

Esses exemplos são icônicos, mas existem incontáveis outros no nosso dia a dia. Inclusive aqui perto, ao nosso lado, com pessoas que conhecemos, mas não sabemos de suas histórias e como pivotaram suas vidas ou seus negócios. Ou ambos. Gente como a gente fazendo a diferença. É a clara demonstração de como a tecnologia, a inovação e a mentalidade e o comportamento disruptivos influenciaram nos resultados dos seus negócios ou atividades, ou de suas vidas.

Daí surgiu a ideia do Projeto DISRUPÇÃO.TUDO. Talks com essas pessoas que têm mente disruptiva e inovaram suas vidas e seus negócios, contando como tudo aconteceu. Participe dos talks e se inspire nessa nova fase de compartilhamento de histórias inovadoras, conhecimento, experiência e vontade de fazer mais e melhor.

Primeiro episódio acontece nesta terça-feira

O projeto tem início nesta terça-feira (4), às 19 horas, no Coolworking Espaço de Conexão, com a fala de dois importantes gestores da comunicação catarinense Marcelo Janssen e Max Pires. Eles abordam a temática jornalismo, comunicação e inovação.

Janssen irá falar como o jornal mais antigo em circulação no Estado se transformou em referência nas mídias sociais. Já Max compartilha a experiência do Leopoldo ao Por Acaso: aprimorando o foguete durante a viagem.

No dia 18, a temática será publicidade, marketing e inovação. Com as experiências será Luís Hufenüsller Leigue e Talita Beber. Luís fala sobre cursar mudanças criativas e Talita a respeito da Disrupção na mídia.

Quem media o encontro é Raphael Rocha Lopes. Mais informações no site: https://raphaelrochalopes.com.br/disrupcao

Quer receber as notícias no WhatsApp?