A Cooperativa da Construção Civil do Estado de SC (Coopercon-SC) importou um lote de 20 mil toneladas de aço da Turquia. A ação é um marco para o setor da construção civil catarinense.

O navio chegou ao Porto de São Francisco do Sul no dia 30 de junho. A matéria-prima vai abastecer 137 empresas de oito estados, entre eles SC. O aço está escasso e com preços elevados no mercado nacional. Com a importação, as empresas garantem o insumo para as obras e conseguem o produto a preços mais competitivos.

O segundo lote já foi fechado e tem previsão de chegar no estado em setembro. Já está aberto o processo de captação de empresas para o terceiro lote, com estimativa de chegada do aço em novembro. O projeto foi idealizado no âmbito da Câmara de Desenvolvimento da Indústria da Construção da FIESC.

O presidente da Coopercon-SC, José Sylvio Ghisi, explica que para importar o aço (tipo CA-50), a cooperativa e a usina turca fornecedora passaram por um processo de homologação e certificação no Inmetro. “Desta forma, nosso material, que leva a Marca SC 50, está totalmente em linha com as normas ABNT e com o que estabelece a portaria 73/2010 do Inmetro. Também obtivemos, por meio da Receita Federal do Brasil, a modalidade Radar Ilimitado para realizar importações de qualquer valor”, explica, lembrando que o projeto para importar o insumo se iniciou em 2017, época em que o setor da construção já enfrentava baixa disponibilidade da matéria-prima e preços elevados. Com a pandemia, essa situação se agravou.

Depois que a Coopercon-SC conseguiu a certificação, iniciou-se um trabalho de prospecção entre os cooperados. Para conseguir comprar o aço em uma usina turca e para contratar o navio de transporte é necessário alcançar um determinado volume do insumo. Entre 2018 e 2020 foram realizados três processos de importação de menor volume para atestar a qualidade do material e a garantia do processo de importação. A medida foi um teste para começar a realizar operações de grandes volumes, como esta que acaba de chegar.

O projeto da Coopercon-SC contou com a parceria da empresa SC Supply, que atua desde 2006 na gestão de compras compartilhadas e importações para diversos segmentos da indústria. Em 2017, a companhia começou a trabalhar com a cooperativa no Portal de Compras Compartilhadas on-line. A Coopercon-SC foi fundada em 2015 por meio da união de empresários vinculados aos Sinduscons de Santa Catarina.

Imposto de importação: o presidente da Coopercon-SC destaca que a entidade solicitou ao Ministério da Economia a isenção do imposto de importação sobre o Aço CA-50 (NCMs 7214.2000 e 7213.1000). A alíquota representa 12% de impostos cobrados na importação do vergalhão. “Diante da falta do produto no mercado nacional, não há motivos para manter essa alíquota. As operações de importação do aço que estão sendo realizadas são apenas para regular o abastecimento do setor da construção, que corre sérios riscos de paralisação de obras, redução do ritmo de produção e demissão de funcionários por conta da falta do insumo”, alerta Ghisi.

No dia 14 de junho, o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, reuniu-se com o secretário especial adjunto do Ministério da Economia, Bruno Portela, e defendeu a redução temporária do imposto de importação do aço. O insumo teve alta superior a 100% em 12 meses e tem impactado diversos setores, principalmente o da construção e o metalmecânico.