A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) defende ação integrada entre os governos federal e estadual e o setor produtivo no sentido de buscar a viabilidade de concessão de corredores logísticos em Santa Catarina.

A preocupação foi manifestada pelo presidente, Mario Cezar de Aguiar, nesta terça-feira (27) durante a primeira de três oficinas on-line sobre os corredores logísticos e a infraestrutura catarinense, que a entidade promove nesta semana.

No evento, o secretário Nacional de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura, Marcello da Costa Vieira, apresentou uma síntese de diversos estudos feitos pelo Ministério para a concessão das BRs 280, 282, 153 e 470 no território catarinense.

O secretário salientou que todos esses estudos foram concluídos sem sucesso e os planos de concessão foram revogados, pois resultavam em tarifas muito elevadas. A série de eventos prossegue até quinta (29), sempre a partir das 14 horas.

Aguiar solicitou uma audiência com o secretário para apresentar as demandas logísticas catarinenses, recolhidas em visitas a todas as regiões do estado. A proposta da FIESC é que seja realizado um planejamento integrado e sistêmico, de todos os corredores logísticos com concepção intermodal.

“Os investimentos na infraestrutura catarinense são por justiça e por inteligência, pois o estado dá respostas aos investimentos aqui feitos”, destacou o presidente da Federação das Indústrias. Ele ressaltou que Santa Catarina tem um setor industrial diversificado, economia forte, um importante complexo portuário (o segundo no país em movimentação de contêineres) e a menor taxa de desemprego do país, além de gerar retorno ao governo federal na forma de tributos.

“Historicamente não temos recebido recursos suficientes para os investimentos. Precisamos dotar o estado de uma infraestrutura de transporte adequada para fortalecer o crescimento, que é nato e próprio dos catarinenses, que, contudo, enfrentam dificuldades para receber os insumos e transportar as riquezas produzidas”, afirmou Aguiar. Ele ainda observou que, apesar de sua eficiência, os portos de Santa Catarina não têm acesso ferroviário e têm dificuldades com o transporte rodoviário, especialmente por estarem localizados dentro ou próximos de centros urbanos.

Programação

O segundo dia de oficinas (quarta, 28) trará a visão dos especialistas Gabriel Vieira (1º vice-presidente do Sincepot), Ricardo Saporiti e Saulo Noronha (consultores da FIESC).

Em seu terceiro e último dia, a oficina tratará da visão sobre os corredores logísticos estratégicos catarinenses.

Confirmaram participação Ronaldo Carioni, superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em Santa Catarina; Thiago Vieira, secretário de Infraestrutura e Mobilidade do Estado de Santa Catarina, e Ari Rabaiolli, presidente da Federação das Empresas de Transporte de Carga do Estado de Santa Catarina (Fetrancesc).

Mais informações pelo e-mail camara.logistica@fiesc.com.br.

O evento é transmitido pelo canal oficial da Fiesc. Neste canal, cada oficina pode ser assistida ao vivo ou em sua gravação.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul