Os corredores começam a se encher conforme os ponteiros percorrem o relógio e, nas cestas e carrinhos de compras, os itens costumam ser os mesmos: panetones, chocolates, aves para a ceia e bebidas.

O aquecimento das vendas de fim de ano deve registrar saldo muito positivo para os supermercados jaraguaenses. No Giassi, a estimativa é de que o volume de vendas tenha um acréscimo de 20% em relação ao mesmo período do ano passado, afirma Odair Bortoluzzi. “Vimos uma reação do consumidor tanto na compra como reação das empresas que estão acreditando no próximo ano e investindo. Prova disso é a quantidade de cestas prontas que vendemos. Percebemos que as empresas gastaram com os seus funcionários e a tendência é de aumentar no próximo ano”, afirma.

Com o movimento aumentando, a expectativa é que a correria se prolongue até segunda-feira, com os consumidores que costumam “deixar pra última hora”.

Se nos supermercados as vendas estão aceleradas e as projeções são otimistas, nas lojas de rua o cenário não é muito diferente, embora a projeção de crescimento não seja assim tão significativa. Para Jennifer Baumann, proprietária de uma loja no Centro de Jaraguá do Sul, a tendência é de que as vendas de fim de ano atinjam o mesmo patamar das registradas em 2017. “O movimento está bom, como esperávamos. Dezembro é sempre um mês movimentado, especialmente com o horário estendido”, diz.

Segundo Jennifer, há alguns fatores que fazem de dezembro um ótimo mês para as vendas, como o horário estendido do comércio, o pagamento de décimo terceiro e as ações de decoração e promoção que costumam chamar a atenção dos consumidores. Paralelo a isso, ela também afirma que o período de férias coletivas acaba levando os jaraguaenses para o calçadão e consequentemente facilita o acesso às lojas.

Lojista afirma que calendário natalino mais elaborado aqueceria ainda mais o comércio local | Foto: Renan Reitz/OCP News

Apesar disso, a lojista reclama da falta de incentivo do poder público para o comércio de Jaraguá do Sul. Para ela, o município peca em não organizar um calendário natalino mais elaborado e que chame a atenção da população estimulando também o consumo nas lojas da cidade. “Falta um pouco de criatividade em fazer um calendário natalino capaz de estimular a visita e o consumo. Esse fomento ajudaria muito o comércio local”, analisa.

Projeções otimistas

Embora não fale em números, projeções e porcentagens, o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Jaraguá do Sul, Gabriel Seifert, aposta em um período de vendas melhor do que o dos últimos quatro anos. Segundo ele, o maior fluxo de pessoas nas ruas e no comércio é perceptível o que faz com que a entidade acredite em bons resultados.

“Fazemos a medição dos resultados em janeiro, mas acredito que teremos percentuais positivos, assim como foi em todo ano, quando tivemos resultados mensais melhores do que nos anos anteriores. Acreditamos que este será o melhor resultado dos últimos quatro anos”, afirma.

Para Seifert, o otimismo em uma retomada da economia em 2019 faz com que o jaraguaense se sinta confiante e confortável em investir nas suas necessidades. “O otimismo faz com que as pessoas voltem a investir o dinheiro nelas mesmas”, diz.

O presidente analisa ainda a postura empresarial que, segundo ele, tem na aprovação de reformas a esperança de real retomada da economia brasileira. “O empresário agora tem esperança de mudanças e de que se consiga desafogar as demandas da economia. Com a aprovação de reformas, o resto vem atrás. Depende muito disso, mas o otimismo está maior. A expectativa é de que esse otimismo se converta em resultados”, finaliza.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?