Foto Arquivo OCP News
Foto Arquivo OCP News

A Páscoa está se aproximando, e com ela a venda de chocolates aumenta. Faltam ainda 39 dias para a festividade, principal momento para as vendas do doce - e a procura já começa, segundo a chocolatier Giovanna de Oliveira Hornburg, da Casa do Chocolate, no Centro de Jaraguá do Sul.

A lojista nota que a procura por chocolates tem sido expressiva, mesmo com a data ainda distante. "Nós colocamos a linha de Páscoa na semana passada e já estamos tendo bastante procura, estamos até registrando algumas vendas. Por ora são os itens menores, como ovinhos e coelhinhos, assim como opções de cestas para rifas e festas", explana.

 

 Você conhece os podcasts do OCP?

Assine e receba novos conteúdos todos os dias

Apple Podcasts | Spotify |
Soundcloud

 

A Federação do Comércio de Bens, Serviço e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio-SC) ainda não divulgou pesquisa quanto às expectativas para as vendas deste ano. Em 2018, o tíquete médio da Páscoa - o valor médio das vendas - ficou em R$ 113,43, 6,5% a mais do que em 2017, quando o valor médio ficou em R$ 106,48.

No ano passado, em parte por conta da data - a Páscoa caiu no dia 1º de abril, ao final do salário de março e antes do pagamento de abril -, pesquisas da entidade apontaram queda nas vendas: o faturamento da páscoa foi 2,6% inferior ao registrado na páscoa de 2017.

O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul, Gabriel Seifert, destaca que as intenções de consumo estão elevadas, segundo  padrões recorrentes nas pesquisas da Fecomércio e da entidade, padrão que deve se manter nesta Páscoa.

"A expectativa de vendas é boa, puxada pelo aumento do otimismo do consumidor, que é o mais alto dos últimos  seis anos e meio", avalia.

Data pode ajudar

Segundo Giovana, a Páscoa ter caído ao final de abril tem ajudado nas vendas e na procura. "Ajuda muito quando a Páscoa é mais tarde, no ano passado caiu muito em uma data muito ruim, e isso prejudicou as vendas", avalia.

Segundo a varejista, com mais sobra no orçamento, o consumidor se demonstra mais disposto a comprar, diferentemente do ocorrido em 2018.

A data da Páscoa de 2018, cinco dias antes do pagamento do salário de abril, resultou em uma leve queda nas compras à vista - 69,5%, contra 70,5% no ano anterior. Com pouca perspectiva de vendas, apenas 8% das lojas fizeram contratações temporárias no ano passado.

As promoções também são estratégia para atrair os consumidores, aponta Giovana. A loja completa 20 anos em junho deste ano, e por conta disto está oferecendo nesta páscoa um produto diferenciado: o ovo Pikantus, uma série limitada de 300 ovos de 300 gramas, acompanhado de um ursinho de pelúcia. Dos 300, 10 virão com vale presentes.

"Outra coisa que temos notado é que os preços das grandes marcas estão até 50% maiores do que os dos chocolates artesanais", destaca, apontando um cenário favorável para lojas do tipo. A comerciante também tem registrado alta na procura por itens de decoração para a temporada.

Segundo a Fecomércio-SC, no ano passado houve pouca pesquisa por parte do consumidor, na avaliação de 46% dos lojistas - este ano, a pesquisa já tem começado com mais de um mês para a data.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?