Comércio catarinense encerrou 2017 com maior variação no volume de vendas do País

Comércio catarinense encerrou 2017 com maior variação no volume de vendas do País Comércio catarinense encerrou 2017 com maior variação no volume de vendas do País

Economia

Por: Windson Prado

quarta-feira, 06:30 - 14/02/2018

Windson Prado
O comércio em Santa Catarina fechou 2017 com a recuperação mais rápida do Brasil. O resultado do volume de vendas do varejo restrito – sem atividades de material de construção e veículos - foi o mais expressivo no País no acumulado de 12 meses. Enquanto Santa Catarina avançou 13,5% nas vendas e 12,8% na receita nominal, o Brasil registrou 2,0% e 2,2%, respectivamente, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada pelo Ibge na semana passada. Já o varejo ampliado teve alta de 14,3%. Leia mais: Na contramão da crise, Joinville é destaque na geração de empregos Em dezembro, o varejo catarinense teve alta de 10,2% no volume de vendas e 8,9% na receita nominal na comparação com o mesmo mês de 2016. Em relação a novembro, no entanto, teve queda de 3,3% nas vendas, por conta das compras antecipadas do Natal nas promoções da Black Friday, em novembro. O segmento que puxou os números positivos em 2017 foi o de hipermercados e supermercados (25%), no acumulado do ano, impulsionado pela queda na inflação dos alimentos, que trouxe mais poder de compra para as famílias. Na comparação com dezembro de 2016 a alta foi de 23,7% No acumulado do ano, dois setores que começaram a se recuperar foi o de equipamentos e material de informática, escritório e comunicação (24,2%), que amargaram um longo período de baixa nas vendas por conta da queda na demanda, e eletrodomésticos (10,0%), que começam a reagir com a melhora no acesso ao crédito. Já móveis (15,8%) e tecidos, vestuário e calçados (8,9%) encolheram em 2017. Para o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, as particularidades do mercado catarinense foram essenciais para o estado ser um dos últimos a entrar e o primeiro a sair da crise. “Mercado interno consolidado, aumento da disponibilidade de crédito, queda nos preços dos alimentos e a retomada do emprego e renda provocam esta retomada. Em 2018 Santa Catarina deve manter essa trajetória de recuperação e a expectativa é de reação em todos os segmentos para que o varejo volte a apresentar volumes absolutos de vendas próximos ao que se via no período pré-crise, antes de 2014”, analisa Breithaupt. O comércio brasileiro teve alta de 3,3% no volume de vendas em relação a dezembro de 2016- a 9ª variação positiva consecutiva após 24 taxas negativas – e variação de 2,6% na receita. *Com informações da CDL/Joinville e Fecomércio/SC  

Quer receber as notícias do Jornal de Joinville no whatsApp? Basta clicar aqui

×