Após um primeiro semestre marcado por poucos avanços na arrecadação de Jaraguá do Sul, o mês de julho manteve o cenário de estagnação observado na captação do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços). Com retração de 0,30% no mês passado, o imposto acumula crescimento de 0,20% no ano, atingindo resultados muito semelhantes aos registrados no ano passado. De janeiro até agora foram enviados aos cofres públicos municipais R$ 85,282 em recursos, um incremento de apenas R$ 140 mil frente a 2016. De acordo com os números apresentados pelo Portal das Transferências Constitucionais, da Fecam, o cenário é de estabilidade, mas sem indícios de crescimento significativo. De certa forma, tal conjuntura já era esperada pelo poder público após dois anos de queda consecutiva no Índice de Participação dos Municípios (IPM) no ICMS. Além disso, a perda de mais 13% no IPM do ano passado deve resultar em uma redução de mais de R$ 17 milhões no ICMS em 2018, o que irá afetar ainda mais a retomada nos índices de arrecadação. Segundo os dados levantados pela Fecam, entre janeiro e julho de 2015 o município chegou a atingir a marca de R$ 92,678 milhões arrecadados com o ICMS, resultado 8,6% superior ao registrado este ano. Entretanto, a partir de outubro de 2015 o agravamento da crise econômica reverteu o cenário e resultou na redução gradativa da arrecadação. Como resultado, em 2016 a captação dos sete primeiros meses do ano acumulou queda de 8,1%. Na análise mensal dos dados, o mês de julho deste ano apresentou redução de 0,30% na comparação anual e de 2,20% na comparação com o mês imediatamente anterior. O sétimo mês do ano registrou arrecadação de R$ 11,916 milhões, em valores brutos, que resultaram em R$ 9,533 milhões em valores líquidos. Apesar da queda, o valor arrecadado em julho se manteve dentro da média observada para o mês nos últimos anos, próxima dos R$ 12 milhões. Massaranduba acumula crescimento de 13,8% Em toda a microrregião, Massaranduba apresenta o melhor desempenho na arrecadação do ICMS em 2017, com crescimento acumulado de 13,8% entre janeiro e julho. Segundo os dados da Fecam, o município viu o imposto subir de R$ 6,570 milhões nos sete primeiros meses de 2016 para R$ 7,477 milhões no mesmo período deste ano, um incremento de R$ 907 mil aos cofres públicos. Somente em julho Massaranduba viu a arrecadação crescer 13,2%, passando de R$ 923,1 mil em 2016 para R$ 1,045 milhão este ano. Desde setembro do ano passado, a cidade tem registrado avanços relevantes na arrecadação do imposto, que representa 39,44% dos recursos transferidos pelo Estado. Em dezembro do ano passado, por exemplo, a cidade chegou a alcançar incremento de 21,2%, frente ao ano anterior. Este ano, com exceção de janeiro, quando o crescimento foi de 3,7%, todos os outros meses apresentaram aumento acima dos 11%, com destaque para abril, que ficou em 19,4%. Assim como Massaranduba, Corupá também teve bons resultados, com incremento de 11,2% no ICMS entre janeiro e julho deste ano. Foram R$ 5,364 milhões arrecadados no período este ano, contra R$ 4,824 milhões no ano passado. Em Guaramirim, o índice de crescimento foi de 10,0% no acumulado do ano, chegando a R$ 26,879 milhões, um incremento de R$ 2,447 milhões frente a 2016. Schroeder, por sua vez, teve um aumento de 7,1% na arrecadação do ICMS este ano, frente ao ano passado, totalizando R$ 5,311 em recursos transferidos para os cofres públicos municipais. Após um mês de janeiro negativo, com queda de 2,4% na arrecadação, o município acumula alta por seis meses consecutivos.