A Parada LGBT de 2019 movimentou R$ 403 milhões na economia da cidade de São Paulo, segundo levantamento realizado pelo Observatório da Secretaria Municipal de Turismo. O evento, realizado no domingo, 23 de junho, reuniu um público estimado em três milhões de pessoas.

O impacto econômico leva em consideração os gastos dos turistas na cidade e moradores da capital e grande São Paulo presentes no evento. O valor é 40% maior do que os R$ 288 milhões de movimentação econômica registrados pela prefeitura da cidade na edição de 2018.

Com este marco, a parada LBGT ultrapassa o Grande Prêmio de Fórmula 1 e se consolida como segundo maior evento da cidade de São Paulo: o GP de 2018 movimentou R$334 milhões no município.

Ainda conforme a pesquisa do Observatório da Secretaria de Turismo, a Parada LGBT de 2019 registrou um aumento de 78% no número de visitantes em relação à 2017, último ano de estudo. Nesses dois anos, o número de não residentes subiu de 24,3% para 43,4%.

Da mesma forma, o gasto médio do turista também saltou de R$ 1.112,00 para R$ 1.634,00 nesse período (crescimento de 46,9%). A pesquisa também apurou que, somente com turismo, a movimentação financeira do evento deste ano ultrapassaram R$ 313 milhões.

A 23ª edição da Parada LGBT de São Paulo teve como tema os 50 anos de Stonewall – uma série de manifestações de membros da comunidade LGBT contra uma invasão da polícia de Nova York ao bar Stonewall Inn em 1969.

De acordo com Heitor Werneck, produtor artístico, a parada deste ano foi mais inclusiva, com atrações circenses e novos talentos da cena LGBT, como o cantor Boivi e Luana Hassen. As atrações principais foram a cantora internacional Melanie C, das Spice Girls, e o grupo Sink The Pink, além de Gloria Groove, Aretuza Love, Luísa Sonza e MC Pocahontas.

Com informações da Agência Brasil.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

WhatsApp  

Telegram  

Facebook Messenger