A queda vertiginosa do PIB (Produto Interno Bruto) registrada em 2020, de 4,1% - a maior na série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - custou ao país a posição entre as 10 maiores economias do mundo, segundo a agência de classificação de risco Austin Rating.

O Brasil foi superado por Canadá, Coreia do Sul e Rússia, caindo do 9º lugar para 12º.

Como muitos país ainda não divulgaram os dados oficiais ou finais do PIB do ano passado, o ranking atual é provisório.

A versão final do ranking das maiores economia do mundo deve ser divulgado em abril, após a divulgação dos resultados consolidados pelo FMI (Fundo Monetário Internacional) - mas há pouca chance de voltar ao top 10.

"Teria uma chance da Rússia ter um número muito ruim e cair bastante, daí o Brasil voltaria para 11º, acho que no máximo isso. Austrália dificilmente vai superar o Brasil porque a diferença é muito grande", afirma Alex Agostini, economista-chefe da Austin Rating, ao portal G1.

O levantamento mostra ainda que o resultado do PIB do Brasil em 2020 ficou na 21ª colocação num comparativo entre as 50 maiores economias do mundo.

Os maiores tombos foram registrados pelo Peru (-11,1%), Espanha (-11%) e Reino Unido (-9,9%).

O presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem partido) chegou a afirmar que o resultado "tem um lado positivo".

Da lista, apenas 3 países tiveram crescimento na comparação com 2019: Taiwan (3,1%), China (2%) e Turquia (1,6%).

A posição ainda pode piorar: com base nas projeções do FMI para 2021, a Austin estima que o Brasil pode cair para a 14ª posição no ranking das maiores economias do mundo, sendo superado também pela Austrália e Espanha, considerando um cenário de alta de 3,3% do PIB brasileiro no ano e uma taxa de câmbio média de R$ 5,2456 por dólar.

Na quarta-feira, o dólar fechou a R$ 5,62.

Entre 2010 e 2014, o Brasil se manteve na 7ª posição. No pior momento, em 2003, ficou na 14ª posição. O ranking da Austin Rating faz o comparativo das maiores economias do mundo desde 1994.

Confira o Ranking

  • 1º - EUA - US$ 20,8 trilhões
  • 2º - China - US$ 14,86 trilhões
  • 3º - Japão - US$ 4,9 trilhões
  • 4º - Alemanha - US$ 3,78 trilhões
  • 5º - Reino Unido - US$ 2,63 trilhões
  • 6º - Índia - US$ 2,59 trilhões
  • 7º - França - US$ 2,55 trilhões - Já estivemos aqui
  • 8º - Itália - US$ 1,84 trilhão
  • 9º - Canadá - US$ 1,6 trilhão - estávamos aqui
  • 10º - Coréia do Sul - US$ 1,58 trilhão
  • 11º - Rússia - US$ 1,46 trilhão
  • 12º - Brasil - US$ 1,42 trilhão - caímos para cá

As informações são do portal G1.