O mercado de Forex tem atraído olhares curiosos e preocupados nos últimos meses, devido a um grande número de casos de fraude e esquemas financeiros neste mercado - o caso mais recente e mais notável é o da Unick Forex, agora Unick Academy, que enfrenta investigação do Ministério Público Federal, teve suas operações vetadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e desacatou o órgão federal.

Segundo o analista financeiro Rafael Lehmkul, da Sherpa Wealth Guides, de Blumenau, muitas pirâmides financeiras se disfarçam de corretoras de valores para enganar as pessoas com pouco conhecimento.

"Tenho visto com cada vez mais frequência o surgimento e o desaparecimento destas pirâmides, é muito triste ver pessoas próximas sendo enganadas, e num geral elas ficam crentes de que não é uma pirâmide", diz.

Enquanto corretoras legítimas oferecem margens de lucro condizentes com o mercado e alertam dos riscos, empresas menos idôneas - e golpes claros - fazem promessas mirabolantes.

"Elas prometem retornos elevados e de baixo risco em curto prazo, pagam quantias fixas que não estão disponíveis em outros investimentos comuns no mercado, dizem que sempre vai subir, requerem um investimento inicial baixo e não estimulam a venda de produtos, só o recrutamento de mais investidores", nota.

Mas mesmo as corretoras legítimas devem ser olhadas criticamente, dado tantos os riscos deste mercado quanto o histórico de escândalos envolvendo mercados financeiros - como o esquema de fraudes do empresário Bernie Madoff, em 2008.

"Um risco que deve ser avaliado é que se essas corretoras estrangeiras quebrarem podem simplesmente sumir do mapa com o seu dinheiro, então é necessário fazer um estudo da empresa", diz.

O que é Forex?

Foreign Exchange, ou Forex, se refere ao mercado de câmbio - o mercado de troca de moedas - que movimenta em torno de US$ 5 trilhões diariamente, cifra que tem levado muitos a ver o setor como uma "galinha dos ovos de ouro" esperando para ser explorada. "Essa expectativa torna o mercado altamente suscetível a golpes e esquemas de pirâmide", explica Lehmkuhl.

"A primeira questão que chama atenção neste mercado é que ele não é regulamentado pela CVM, ou seja, nenhuma corretora sediada no Brasil pode oferecer este serviço", nota.

Apesar disso, é comum que os brasileiros abram conta em uma corretora estrangeira para operar neste mercado - mesmo sem autorização da CVM para este serviço.

Segundo o analista, a grande vantagem deste mercado para os seus atores seria a alta liquidez - e por conta disto as corretoras estrangeiras permitem que os clientes façam operações bastante alavancadas.

"Mesmo que você tenha pouco dinheiro na conta, é possível operar muito mais do que você tem, como se fosse um cheque especial que o banco lhe empresta. E é aí que mora o grande perigo, pois se é possível ganhar muito dinheiro em pouco tempo, também é possível perder muito dinheiro, e é até bastante comum acontecer de 'quebrar a conta', ou seja, perder tudo", alerta.

Lehmkuhl finaliza com um alerta importante. "Até hoje não conheci ninguém que começou com muito pouco e ficou muito rico no mercado de Forex, particularmente é um mercado que não gosto, mas isso vai de cada um. O segredo é se educar financeiramente, estudar os mercados a fundos, e se encontrar uma brecha que lhe permita ganhar dinheiro, e manter a qualidade de vida, vá em frente", diz.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger