Com mais de 30 anos de atuação na WEG Tintas e 12 anos de participação na Associação Empresarial de Guaramirim (Aciag), o químico Adilson Cesar Demathe agora assume um novo compromisso: a presidência da Aciag para o exercício de 2021, em um ano marcado pelos impactos de 2020.

A posse oficial será no dia 25 deste mês.

"O Desafio é de fazer com que o associado esteja amparado pela casa sendo ele pequeno, médio ou grande empreendedor, para que possa buscar melhorias para o seu segmento de atuação. Também que ele seja participativo, ou seja: que tenha o sentimento de pertencimento à casa, de forma que, com sinergia, possamos unir forças nesta busca", explica Demathe.

Para este fim, foi formada uma diretoria de segmentos diversificados, com um misto de associados experientes, se unindo com os jovens e um número maior de mulheres.

"Assim teremos massa critica para debater e agir formando novos líderes para o futuro da Aciag. Assim que empossado à diretoria, montaremos um planejamento estratégico em cada pasta, que seja de conhecimento de toda diretoria e teremos status atualizado a cada três meses para que consigamos sinergia entre todos os segmentos", diz

O plano é trabalhar em conjunto com o poder público para a conclusão da BR 280 parte estadual (trecho urbano), e federal (contorno) assim como o recapeamento/duplicação da SC 108.

A entidade também está desenhando o Plano Socioeconômico da cidade capitaneado pela Prefeitura Municipal e que em breve deve ser iniciado.

Outra frente é a capacitação com a implantação da Escola Internacional de Sucessão Empresarial e também o PGVE (Programa de Gestão e Vivência Empresarial), ambos em parceria com a Fundação Empreender.

Ano de oportunidades

Para Demathe, 2021 é um ano de muitas oportunidades, com a perspectiva do crescimento do PIB em 3%.

Entretanto, também é um ano incerto devido ao aumento nos casos de Covid-19 e com a queda de 4,1% registrada em 2020.

"Cremos que agora com melhor harmonia entre o Governo Federal, Senado e Câmara teremos rapidez nas ações que fomentem o crescimento de nossa economia interna e para as exportações. Nosso agronegócio caminha a passos largos no mercado externo e um aumento também nas exportações de Bens de Capital e especialidades engenheiradas", nota.

Em seu ver, o momento exige a desburocratização do sistema proposta pelo Ministro da Economia Paulo Guedes.

"Com isso poderemos reinvestir em nossos empreendimentos, possibilitando a todos sermos mais competitivos e aumentarmos as vendas. Nossa região é diferenciada em estrutura, mas temos que ser mais firmes para melhorarmos em conjunto com os nossos políticos regionais", acredita.

Ele frisa que é importante que a população e as empresas tenham todos os cuidados para evitar o contágio, mas avalia que o pior momento da pandemia já teria passado e que em 15 a 30 dias os casos voltem a cair - e que a economia volte a crescer, caso não haja um lockdown.