O crescimento da economia tem sido tema forte entre as entidades empresariais de Santa Catarina, com uma agenda lotada cobrando ação sobre o tema. A última projeção de crescimento econômico do Banco Central prevê um crescimento de apenas 1,23% na economia para este ano.

No último dia 28, lideranças empresariais se reuniram com o Fórum Parlamentar Catarinense para debater questões de interesse de Santa Catarina. O presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Mário Cézar de Aguiar, participou de reunião na Confederação Nacional da Indústria (CNI), oportunidade em que a entidade recebeu o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho.

Ele afirmou houve uma mudança da percepção da população brasileira em relação à aprovação da reforma da Previdência porque ela está sentindo que “o Estado quebrou e se exauriu”. Marinho citou problemas na saúde, na segurança pública e na educação e afirmou haver um problema relacionado à eficácia do gasto público.

“Não é que falta dinheiro. Nesse caso, de educação e saúde, há a questão da vinculação constitucional. O problema é a questão do foco, da eficácia do gasto público”, disse.

No dia 29, as lideranças empresariais se encontraram com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e ouviram dele que a reforma da Previdência está bem encaminhada no parlamento, mas precisa de apoio.

“O deputado afirmou que logo na sequência será a vez da reforma tributária”, relatou o presidente da Fiesc.

A reunião, na residência do presidente da Câmara, foi articulada pelo deputado Darci de Matos, e liderada pela Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), contou ainda com a participação do presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt, e de empresários da região Norte catarinense.

Na reunião, Maia disse que a reforma da Previdência está bem encaminhada no parlamento, mas precisa de apoio. “O deputado afirmou que logo na sequência será a vez da reforma tributária”, relatou Aguiar.

Presidente da Fiesc esteve em reunião com presidente da Câmara nesta terça-feira | Foto: Fernando Oliveira da Silva/Divulgação

A situação será tema de seminário promovido pelo Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (Cofem) e entidades do setor de comunicação de Santa Catarina. O encontro será no dia 10 de junho, às 14h30, na Fiesc, em Florianópolis, e terá a participação do gerente de políticas fiscal e tributária da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Mário Sérgio Carraro Telles.

Lideranças reforçam apoio

Segundo Aguiar,  houve uma mudança da percepção da população brasileira em relação à aprovação da reforma da Previdência porque ela está sentindo que “o Estado quebrou e se exauriu”.

“Santa Catarina é berço de grandes empresas. O empreendedor catarinense acredita no seu negócio e investe nele. Por isso temos empresas de destaque nacional e internacional. A indústria catarinense é extremamente favorável às reformas estruturantes no Brasil, especialmente a da Previdência e depois a tributária”, acrescentou Mário Aguiar, salientando a necessidade de simplificar o sistema de arrecadação de impostos para que o setor produtivo ganhe competitividade.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?