As rajadas de vento que passaram pela região nessa terça e quarta-feira, em decorrência do ciclone extratropical "bomba", afetaram a agricultura em Criciúma.

A produção de banana foi a mais atingida.

Dos aproximadamente 800 hectares no município, pelo menos 500 foram afetados.

É o que aponta o levantamento da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) para a Gerência de Agricultura e Agronegócio de Criciúma.

"O efeito maior foi a desfolha, que rasga as folhas. Nós fizemos o levantamento com os agricultores de várias localidades aqui do município e, em torno de 150 hectares, tombaram com a fruta, então esse foi o prejuízo maior. A banana mais prejudicada foi a caturra, a branca também, mas um pouco menos", explicou o engenheiro Agrônomo da Epagri, Roberto Francisco Longhi.

Dos 150 hectares que caíram, estima-se que 50% foi perdido, resultando no prejuízo de aproximadamente R$ 500 mil.

Conforme o profissional, a produção de bananas já estava passando pelas secas desde o ano passado, assim como outros setores da agricultura.

"Agora vai atrasar ainda mais o desenvolvimento. As plantas que caíram, as folhas rasgadas, tudo isso vai esticar ainda mais o tempo para colher essa plantação", ressaltou.

Durante o levantamento, também foram observados prejuízos menores em relação à produção de morangos e destelhamentos de galpões.

Devido a época do ano, não há tantas lavouras em desenvolvimento, e as hortaliças, que por se tratarem de plantas de baixo porte, não foram tão atingidas pelos fortes ventos.


Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul