O governo chinês anunciou neste domingo (28) o confinamento de quase meio milhão de pessoas nos arredores da capital, Pequim, segundo informações do Estadão e da Agence France Presse. A cidade tem enfrentado desde o meio do mês um novo surto de Covid-19, já qualificado pelo governo chinês como "sério e complexo".

O governo chinês afirmava já ter contido a epidemia, iniciada em Wuhan, mas com cerca de 300 novos casos em Pequim em cerca de duas semanas veio o temor de uma nova onda de contágios.

Segundo o Estado de São Paulo, após uma série de campanhas de diagnóstico e prevenção, as autoridades locais anunciaram neste domingo o confinamento do cantão de Anxin, localizado a 60 quilômetros ao sul de Pequim, na província de Hebei.

Onze casos relacionados ao foco epidêmico de Pequim foram relatados no distrito. Com o novo confinamento, apenas uma pessoa por família poderá sair, uma vez por dia, para comprar alimentos e remédios.

A capital chinesa também limitou o transporte público para deter a disseminação dos casos de coronavírus. Bairros da cidade foram bloqueados e pontos de segurança foram instalados em regiões residenciais. Preocupadas com os riscos de contágio, outras províncias impuseram exigências de quarentena para visitantes vindos de Pequim.

Além de testes e medidas de prevenção e controle, Pequim intensificou a inspeção dos mercados de produtos frescos como carne suína, bovina, ovina e de aves congeladas. Outros negócios, incluindo supermercados e restaurantes, estão sendo controlados para garantir que não haja produtos contaminados com o patógeno em circulação. / AFP

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Participe do Grupo de WhatsApp

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul