Produção jaraguaense chega a 150 mil litros por mês | Foto Arquivo/OCP News
Produção jaraguaense chega a 150 mil litros por mês | Foto Arquivo/OCP News

As latinhas de cervejas industrializadas estão sendo, pouco a pouco, substituídas em Jaraguá do Sul e não porque os jaraguaenses perderam o gosto pela bebida. Ao contrário, o paladar ficou mais refinado, exigente e com aquela vontade de experimentar e consumir o que é daqui.

E opções não faltam. Segundo o recém criado Núcleo de Cervejarias da Acijs, atualmente existem cinco cervejarias e outras quatro “ciganas”, que são aquelas marcas que produzem suas cervejas em fábricas parceiras.

Já tradicionais na cidade, as cervejarias com fábrica própria são: Karsten, Königs, Stannis, Maestro e Graal. As cervejas “ciganas” são a Hard Bop, Rott North, Cherokee e C’est La Vie.

As nove cervejas genuinamente jaraguaenses têm uma produção bastante significativa, conforme conta o líder do Núcleo, Rodrigo Boscaini de Freitas.

Ele, que também é proprietário da Hard Bop, diz que, em média, a produção de cerveja artesanal jaraguaense gira em torno de 150 mil litros por mês e a projeção para 2019 é ainda melhor.

“O mercado está mais preparado, mas mantemos uma expectativa com cautela. A projeção de aumento para este ano é de cerca de 20%”, afirma. Se a expansão se concretizar, o município fecha o ano com uma média de produção mensal de cerveja de 180 mil litros.

Cervejarias artesanais com fábricas próprias: Karsten, Königs, Stannis, Maestro e Graal | Foto Arquivo OCP News

 

O objetivo de fortalecer e expandir o mercado das cervejarias artesanais foi, justamente, o motivo da criação do Núcleo de Cervejarias, que se estabeleceu no segundo semestre do ano passado.

Boscaini conta que embora as cervejarias já fossem parceiras e trabalhassem unidas, criar um grupo formal para discussão de estratégias é fundamental para aquecer ainda mais o mercado e, principalmente, para tornar Jaraguá do Sul uma referência quando o assunto é cerveja artesanal.

“A ideia é unir forças para que Jaraguá vire uma referência no setor de cervejas, temos uma lei de incentivo, mas é fundamental que tenhamos um grupo para fomentar isso. Nosso objetivo é que em todo bar que você vá tenha uma cerveja artesanal produzida em Jaraguá do Sul”, salienta.

A qualidade, ressalta ele, é o diferencial das cervejas jaraguaenses, que já receberam diversos prêmios nacionais e internacionais.

Para o líder do Núcleo, embora o mercado já esteja habituado e aberto a esses produtos, ainda é preciso fazer o público entender melhor a diferença entre a cerveja artesanal e industrializada, focando justamente na qualidade dos insumos utilizados que refletem em um produto de sabor e textura diferentes.

“Nós ainda precisamos fortalecer esse mercado e fazer o público entender o que é cerveja artesanal, que se trata de um produto diferenciado, com matérias-primas de qualidade”, enfatiza.

Para ele, o desafio continua sendo esse: abrir o mercado e fazer o público entender que cerveja artesanal é pensada detalhadamente desde o sabor à textura, com o maior cuidado em cada um dos ingredientes utilizados, visando uma experiência diferenciada ao consumidor.

Produção 50% maior

O canto de “parabéns” já está engatilhado na fábrica da Karsten. Perto de completar cinco anos, a cervejaria tem muitos motivos para comemorar.

Segundo o proprietário, Side Karsten, a empresa tem tido um crescimento expressivo desde que iniciou sua produção lá em 2014, quando o país tinha, aproximadamente, 250 micro cervejarias. Hoje, há aproximadamente 800 em todo o Brasil.

No primeiro ano de produção, conta ele, a cervejaria produziu uma média de 1,5 mil litros por mês. Em 2018, o número já havia saltado para 27 mil litros e a projeção para 2019 é de aumentar quase 50%, chegando a 40 mil litros produzidos ao mês.

Para Karsten, a expansão das cervejarias jaraguaenses é reflexo de um segmento onde há espaço para todos. “Tem demanda para todos. O que está acontecendo é que as pessoas estão deixando de beber cervejas industrializadas para beber cervejas artesanais e a demanda tem aumentado muito”, destaca.

O proprietário da cervejaria ressalta que a procura pelo produto se dá pela vontade de experienciar novos sabores e, nisso, as cervejarias artesanais de Jaraguá do Sul têm acertado em cheio, uma vez que produzem inúmeras variedades, com diferentes sabores, texturas e combinações.

Kombi transformada em “Beer Truck” 

Uma Kombi, seis torneiras e muito chope. É assim que a Oasis Beer Truck é vista pelos consumidores desde novembro do ano passado, quando colocou o chope jaraguaense sobre rodas.

Para o sócio proprietário da empresa, Paulo Felipe Kons, a ideia é ser uma Kombi itinerante que tem como objetivo unir quem gosta de cerveja artesanal e as marcas de Jaraguá do Sul. Para isso, todas as marcas da cidade são servidas na Oasis.

Foto Divulgação/Ivan Toffol

Segundo ele, desde novembro, já foram servidos quase 5 mil litros e a projeção é de que ao completar um ano, a Kombi já tenha distribuído 20 mil litros.

Kons destaca que o formato diferente de servir é um atrativo, mas ressalta que, neste primeiro momento, os sócios não têm a intenção de “ganhar a vida” com a Kombi, tanto que todos eles possuem outros trabalhos regulares.

 

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?