Foto Eduardo Montecino/OCP News
Foto Eduardo Montecino/OCP News

Aproximação com o ecossistema de startups, foco em desenvolvimento para indústria 4.0 e abertura para inovação: estas são as metas do Centro de Inovação Aberta IoT WEG. O espaço com 50 metros quadrados e vista ampla para o exterior do recém aberto Novale Hub será um pólo para novas ideias.

Nele, trabalham de forma fixa seis desenvolvedores e um pesquisador da empresa, focando atualmente no desenvolvimento do sistema de monitoramento de máquinas elétricas, o WEG Motor Scan, além de outros funcionários de forma intermitente, com espaço para 16 profissionais.

O pesquisador e engenheiro eletricista no novo espaço, Marco Aurélio Sciepiet nota que o  ambiente traz ares muito diferentes.

"É um espaço mais aberto, mais flexível, longe do ambiente corporativo em que estávamos. É uma experiência bem diferente dos últimos 20 anos dentro da empresa", avalia, ressaltando que o distanciamento dos outros processos da WEG  ajuda a focar nas demandas do projeto.

Outro diferencial, ainda por vir, é o contato com as startups - são cinco empresas que estão para se instalar no Novale Hub, todas com foco em tecnologia da informação. "Estamos ansiosos para receber nossos colegas e ver o que eles tem para nos trazer", nota.

Centro de inovação fica dentro do Novale Hub | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Este distanciamento da matriz é possível por conta do foco do projeto - como os trabalhos com tecnologia 4.0 dependem mais de desenvolvimento computacional do que fabril, a equipe pode trabalhar de forma isolada, se dirigindo às fábricas quando precisa produzir protótipos ou fazer testes in loco.

Segundo o gerente de Pesquisa e Inovação da WEG, Sebastião Nau, a empresa historicamente trabalhou seu desenvolvimento de forma interna, raramente buscando parcerias para o desenvolvimento tecnológico.

"No ano passado começamos esta mudança de foco, de olho em empresas pequenas que têm um desenvolvimento muito forte nesta área de Tecnologia da Informação e Inteligências Artificiais, essenciais para a Indústria 4.0", conta.

Agora, com o Centro de Inovação Aberta, a ideia é ter um contato mais próximo com estas empresas.

"Percebemos a necessidade de fazer este trabalho com inovação aberta, desenvolvendo tecnologias com parceiros externos e startups. Não é um trabalho simples que fazemos com o Motor Scan, e ele tem muito a avançar com esta aproximação", conta.

O contato com as startups - mesmo aquelas que não trabalham no setor industrial, mas que mantém plataformas online - deve trazer novas ideias e novos processos para lidar com estes dados.

Espaço deve incentivar as inovações tecnológicas | Foto Eduardo Montecino/OCP News

"Uma coisa que estamos buscando são ideias para aplicar em nossa plataforma para celular, onde o cliente poderia ter acesso a estes dados", exemplifica Nau.

O Motor Scan é uma tecnologia "preditiva" para maquinas elétricas, explica Nau.

O sistema coleta dados quanto ao funcionamento e o estado do maquinário e o encaminha para uma plataforma online, de forma a acompanhar em tempo real as condições de uso - ajudando a evitar interrupções, mau funcionamentos e outros problemas e ao mesmo tempo reduzindo a necessidade de manutenção preventiva periódica.

"Com estas análises, podemos saber quando é necessário fazer reparos, trocas e revisões, ao invés de apenas seguir o programado", explica.

WEG espera atrair mais empresas

O  diretor superintendente de Pesquisa e Inovação Tecnológica, Milton Castella, destaca que a presença da WEG no Centro de Inovação deve ajudar a atrair mais empresas dentro do foco de tecnologias inteligentes para o espaço.

"Nossa previsão é de que dentro de três anos o espaço esteja completamente ocupado, com um foco diversificado, mas nossa presença deve agregar valor e atrair empresas mais voltadas para esta área", avalia.

Segundo o executivo, ambos os lados da equação têm muito a se beneficiar com este contato entre grandes empresas como a WEG com as pequenas startups emergentes - que muitas vezes têm mais flexibilidade e trazem um olhar que as grandes empresas não tiveram.

"Temos que nos conectar com os pequenos, fazer reuniões com startups, buscar o que elas tem a nos oferecer e agregar parceiros. Sempre fizemos tudo de forma muito vertical no desenvolvimento da WEG, de forma interna, e agora está mudando", diz.

Além do Centro de Inovação Aberta IoT WEG, o prédio do Centro de Inovação de Jaraguá do Sul Novale Hub receberá centros de P&D de outras empresas, inúmeras startups, aceleradoras, empresas de base tecnológica e inovadores interessados em encontrar um local propício para desenvolver seus projetos tecnológicos.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?