Com a chegada do fim do ano, o comércio começa a se preparar para aquela que costuma ser a época mais importante para as vendas. Mesmo com o cenário ainda negativo, o aumento do otimismo dos consumidores tem estimulado os varejistas a investirem: segundo projeção da Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul (CDL), é esperado um aumento de até 15% no número de contratações temporárias este ano no município. O índice é um bom sinal, se levado em conta o fato de que no ano passado o comércio jaraguaense fechou o mês de novembro – quando tradicionalmente se concentram as contratações temporárias – com saldo negativo de vagas. “Pesquisas feitas pela Federação do Comércio indicam que pode haver um incremento de vagas temporárias entre 10% e 15% este ano na região, na comparação com as demais épocas do ano. Este é um cenário animador, se pensarmos que ano passado os comerciantes optaram por segurar o quadro ao máximo”, diz o presidente da CDL, Marcelo Nasato. Em 2015, o mês de novembro registrou a perda de 12 postos de trabalho no comércio de Jaraguá do Sul. O número destoou bastante do cenário comumente observado na cidade: em 2014, o varejo jaraguaense foi responsável pela geração de 137 vagas de emprego. Em Santa Catarina a situação se repete. Em novembro de 2010, o comércio catarinense gerou um saldo de mais de 7,6 mil novos empregos. No ano passado, o número decaiu para quase um terço deste valor: foram 2,7 mil empregos gerados pelo varejo no penúltimo mês do ano. Segundo estimativa da Fecomércio, na temporada 2008 Santa Catarina chegou a oferecer 20 mil vagas temporárias, número que caiu para quatro mil na temporada 2015/2016. Por isso, a expectativa de que este ano possa retomar números mais representativos anima o mercado e os consumidores, afirma Nasato. “É claro que se sabe que a recuperação do setor não terá um ritmo acelerado, mas o aumento da movimentação gera otimismo, ainda mais que o aumento nas contratações está diretamente ligado ao crescimento efetivo das vendas e do fluxo de pessoas, o que é um bom medidor do mercado”, avalia. 2015_06_10 comercio calçados vendas - em (4) Os resultados do Dia das Crianças também ajudaram a reforçar a confiança do comerciante: conforme Nasato, este ano cerca de 60% dos varejistas registraram desempenho superior ao do ano passado nas vendas para a data. “O aumento de vagas temporárias é positivo para o comércio, por que indica movimentação, faz o dinheiro rodar e também ajuda a aproveitar melhor a venda, já que é possível atender à demanda com mais calma. Também é positivo para a cidade, por que auxilia o profissional que está desempregado, muitas vezes com dívidas acumuladas, para que ele possa ter um suspiro no fim do ano”, analisa o presidente da CDL. Segundo dados da Fecomércio SC, em setembro deste ano, o índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) atingiu 98,5 pontos, em uma escola de 0 a 200, o que representa alta de 6,1% no mês e de 15,3% no ano. É o quarto mês consecutivo que o índice registra alta, após apresentar o nível mais baixo da série histórica iniciada em janeiro de 2010. Setembro também trouxe uma mudança na Intenção de Consumo das Famílias (ICF), que registrou índice positivo após seis meses seguidos de queda. O indicador atingiu 90,6 pontos no mês passado. A Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) estima que no Natal deste ano sejam abertas 101 mil vagas temporárias em todo o Brasil, uma queda de 7% na comparação com o mesmo período do ano passado. Destas, 20 mil vagas deverão ser destinadas aos jovens em situação de primeiro emprego e cinco mil poderão se tornar efetivas, destaca a entidade. dados emprego Empregador deve ficar atento ao treinamento Na hora de contratar um profissional temporário, além de estar atento às questões legais, é preciso garantir que o novo membro da equipe entenda a dinâmica da loja e saiba repassar aos clientes a mensagem que o estabelecimento deseja, destaca Nasato. Por isso, o treinamento deve ser a principal preocupação dos empreendedores que desejam potencializar a equipe de vendas. “Nestes casos, um funcionário despreparado pode ser pior do que não ter ninguém. Por isso a recomendação é sempre contratar com a maior antecedência possível e oferecer treinamento para que ele entenda o fluxo da loja, o modelo operacional, conheça os produtos e venha a agregar para as vendas”, recomenda o presidente da CDL. A expectativa é de que o maior movimento se concentre na semana do dia 19 a 23 de dezembro, quando o comércio deverá estar aberto até as 21h (a proposta sobre os horários ainda aguarda homologação junto ao sindicato). Segundo a Asserttem, atualmente a lei garante aos trabalhadores temporários jornada de oito horas, remuneração de horas excedentes com acréscimo de 50%, salário equivalente ao recebido pelos empregados de mesma categoria da empresa, férias proporcionais, 13º salário proporcional, repouso semanal remunerado, adicional por trabalho noturno, e FGTS. Já os empregadores podem se beneficiar de redução de encargos, flexibilidade na contratação e redução de custos com benefícios, entre outros.