Com o aumento diário de pessoas infectadas com o coronavírus, a CDL de Florianópolis pede por mais rigor na fiscalização por parte dos órgãos competentes. A reconhece que a população está exausta com o isolamento social, mas destaca que a desobediência aos decretos estadual e municipal nos últimos dois feriados, elevou a taxa de transmissão, bem como a de ocupação de leitos nos hospitais.

A CDL ainda lamenta o afrouxamento da fiscalização em eventos nos espaços públicos e de particulares que geram aglomerações. “O enfrentamento da pandemia requer reeducação e não é algo momentâneo, toda a sociedade terá de conviver com a situação até que tenha uma vacina efetiva e que a doença seja controlada”, comenta o presidente da CDL de Florianópolis, Ernesto Caponi.

Além disso, é inaceitável o descuido com a contaminação durante o período eleitoral. Candidatos a prefeito (a) e a vereadores para conquistar votos estão se expondo em demasia e colocando vidas em risco com o agrupamento nas campanhas. “Entendemos que o momento é delicado e que 2020 está sendo um ano difícil, mas os cuidados devem prevalecer”, ressalta Caponi.

Retomada segura

A CDL de Florianópolis tem reforçado seu papel diariamente de informar e de orientar os empresários e os colaboradores do comércio para que tomem os devidos cuidados de higiene, segurança e controle de acesso nos estabelecimentos, transporte coletivo e espaços públicos, evitando assim a proliferação do vírus.

A entidade ressalta que o comércio segue cumprindo as regras sanitárias e que não mede esforços para conter o avanço da doença. Para a CDL, o comércio não suportará um novo fechamento.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp