A CCR venceu o leilão do lote rodoviário da BR 101/SC. O certame foi na B3, no centro de São Paulo, nesta sexta-feira, 21. A empresa ofereceu tarifa de R$ 1,97012, 62,04% de deságio sobre a tarifa máxima de R$ 5,19. Já era esperado no mercado um forte apetite da empresa, que conseguirá uma sinergia importante com outra concessão próxima.

O valor ficou bem abaixo das duas outras propostas. Fontes afirmaram ter sido um lance arriscado e disseram que a empresa terá de injetar cerca de R$ 1 bilhão de capital social por causa deságio elevado.

O Consórcio Way-101 ofereceu R$ 4,35985 de tarifa, deságio de 16%. Já a EcoRodovias ofereceu tarifa de R$ 2,51016 pelo trecho, 51,63% de deságio. Vencia quem oferecesse o menor valor de pedágio.

Gerou surpresa a empresa Arteris não ter apresentado proposta no certame.

O Ministério da Infraestrutura prevê investimentos de R$ 7,4 bilhões, sendo R$ 3,4 bilhões em Investimentos e R$ 4 bilhões em custos operacionais, ao longo do período de 30 anos de concessão.

Esperasse que uma geração de 4 mil novos empregos diretos e indiretos.

Após assumir a concessão, a CCR terá que construir, entre outras intervenções, 70 km de vias marginais, 98 km de faixas adicionais, 31 melhorias de acessos, 25 pontos de ônibus, 18 passarelas e 23 rotatórias. Além disso, 100% do trecho será monitorado por meio de câmeras, painéis de mensagem e sensores de tráfego.

O Grupo CCR é responsável por 3.735 quilômetros de rodovias da malha concedida nacional, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.