O estado do Ceará, que não faz parte da zona livre de Peste Suína Clássica (PSC), registrou um caso de peste da doença. O Ministério da Agricultura (Mapa) notificou a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) sobre a ocorrência.

O caso da doença foi diagnosticado no dia 14 de setembro em um animal de produção caseira e a confirmação foi feita pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de Minas Gerais.

De acordo com a OIE, nove animais foram registrados com a peste na cidade de Marco, há 220 quilômetros de Fortaleza. Oito animais morreram e um foi sacrificado.

Como o estado não é zona livre para a peste suína clássica, existem restrições para a circulação de animais e produtos entre o Ceará e áreas classificada como livres da doença.

“As investigações ainda estão em andamento para identificar a origem e ligações epidemiológicas. As medidas de erradicação serão implementadas com abate dos animais existentes na propriedade e contatos dentro da mesma unidade epidemiológica”, disse o governo à OIE.

Foi ressaltado ainda pelo Mapa que “conforme as estratégias para erradicação de focos de PSC adotadas no país, será realizada a eutanásia dos suínos envolvidos e a limpeza e desinfecção na propriedade, além de investigações para rastreamento de provável origem e vínculos epidemiológicos”.

Desde do ano de 1982 o Brasil vem estabelecendo zonas livre de PSC. São reconhecidas pela OIE três zonas livres no país. A primeira é formada pelo Estado do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a segunda pelos Estados do Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rondônia, São Paulo, Sergipe, Tocantins, além do Distrito Federal, e os municípios de Guajará, Boca do Acre, região Sul de Canutama e região Sudoeste de Lábrea, que são do Estado do Amazonas e a terceira zona é formada apenas pelo Estado do Paraná.