O Ministério da Agricultura determinou nesta segunda-feira (27) as interdições de mais dois frigoríficos investigados na Operação Carne Fraca. Trata-se do Frigorífico Souza Ramos, localizado em Colombo, e o Transmeat, em Balsa Nova, ambos no Estado do Paraná. No fim da semana passada, já havia sido anunciada a decisão de recolhimento de alimentos de três outras unidades, incluindo produtos da Peccin Agro Industrial Ltda, que tem uma unidade em Jaraguá do Sul. O ministério limitou-se a informar que interdições foram determinadas porque foram encontrados indícios de falhas nas unidades anunciadas. - Leia mais: Carne Fraca: “A carne brasileira é a melhor do mundo”, declara Temer Leia mais: Carne Fraca: Santa Catarina já sente impacto econômico e queda nas vendas de carnes - Na sexta (24), a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), vinculada ao Ministério da Justiça, já havia determinado que todos os produtos dos frigoríficos Souza Ramos, Transmeat e Peccin fossem recolhidos do comércio, e que consumidores que quiserem devolver produtos já adquiridos, sejam ressarcidos. Sobre o frigorífico Souza Ramos, um dos novos interditados, pesam denúncias de suposta substituição de matéria-prima de peru por carne de outras aves e por trocar favores por procedimentos de fiscalização. Já o Transmeat foi acusado, no inquérito da Carne Fraca por corrupção e injeção de produtos cárneos. O ministro Blairo Maggi deve fazer, ainda nesta segunda, um balanço das auditorias nas 21 unidades alvos da Carne Fraca.