Bombinhas passou a integrar a Rota dos Vinhos com a primeira vinícola subaquática do Brasil - a empreitada foi anunciada pela Prefeitura neste final de semana.

O método de produção é usado por apenas uma dezena de vinícolas em todo o globo, e Bombinhas deve ser a primeira cidade no Brasil a contar com este modelo de produção.

A iniciativa é uma parceria entre o município, empresários locais e a associação dos vinicultores da serra catarinense, com o apoio da Deputada Estadual Ana Paula da Silva (PDT), ex-prefeita do município.

A expectativa é que até o mês de novembro os vinhos já estejam submergidos em uma área autorizada para este fim.

Segundo a revista Adega, o método de produção tomou força há cerca de 10 anos, quando uma equipe de mergulhadores no mar Báltico encontrou 168 garrafas de Champagne em um navio naufragado.

Entre elas, havia 48 de Veuve Clicquot datadas de 1839 a 1841. Os vinhos foram analisados e percebeu-se que várias garrafas mantiveram boas condições e estavam aptas para consumo. Em um primeiro momento, especialistas disseram ter encontrado aromas não muito agradáveis, contudo, surpreenderam-se com o frescor da bebida depois de tantos anos.

Logo em seguida, as garrafas foram leiloadas e algumas alcançaram quase US$ 15 mil.