Balança comercial demonstra aquecimento da indústria local

Balança comercial demonstra aquecimento da indústria local Balança comercial demonstra aquecimento da indústria local

Economia

Por: Pedro Leal

quarta-feira, 06:30 - 07/02/2018

Pedro Leal
Ao fim do primeiro mês do ano, Jaraguá do Sul continua demonstrando uma tendência de aquecimento do mercado, apesar de terminar o mês com saldo negativo na balança comercial. Em janeiro, o município movimentou US$ 27,203 milhões em exportações e US$ 29,126 milhões em importações, encerrando o mês com saldo negativo de U$ 1,923 milhão, segundo dados Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), divulgados nesta terça-feira (6). Comparado ao mesmo mês de 2017, a relação entre importações e exportações se inverteu: em janeiro passado, o município exportou US$ 3,327 milhões a mais. Janeiro tem seguido um padrão fraco para as exportações, mesmo com o reaquecimento da economia, consistentemente tendo o desempenho mais fraco – e o de 2018 ficou marcado por um crescimento tímido na movimentação, 0,39% maior do que a do mesmo mês em 2017. Possível indicador da aposta na retomada do consumo e do reaquecimento da indústria, as importações cresceram 22,53% em relação ao mesmo mês no ano passado. Comparadas ao mês de dezembro, o volume de importações ficou 28,76% maior: no último mês do ano, Jaraguá do Sul acumulou US$ 22,715 milhões em importações. MATÉRIA-PRIMA E BENS DE CAPITAL DOMINARAM AS IMPORTAÇÕES  Segundo os dados divulgados pelo MDIC, quase um terço (32,60%) das importações feitas pelo município em janeiro foram de bens de capital, como maquinário industrial e partes para geradores, somando US$ 9,493 milhões. O volume da categoria foi 31,18% superior ao registrado em janeiro de 2017, de US$ 7,410 milhões. Com crescimento menos acentuado, de 16,46%, os insumos industriais - como matéria-prima e combustíveis - representaram 47,69% do volume de importações, somando US$ 13,891 milhões. Apesar da variação positiva, a categoria diminuiu sua representação no perfil do município: em janeiro de 2017, os insumos representavam 50,18% das importações - pouco mais da metade. Por sua vez, os bens de consumo representaram apenas 19% das importações, somando US$ 5,547 milhões. As exportações seguem o mesmo padrão de outros meses, dominadas quase que completamente por motores e geradores elétricos (68,86%), com US$ 18,731 milhões, transformadores elétricos (6,45%), com US$ 1,755 milhão, e partes dos mesmos (5,55%), com US$ 1,511 milhão, que juntos somam 80,86% do volume de exportações de Jaraguá do Sul. Das três categorias, duas tiveram variação positiva em comparação com janeiro: os geradores e motores cresceram 9,97% enquanto as partes para motores e transformadores cresceram 46,11%. Já os transformadores caíram 57,85%. SALDO FOI NEGATIVO NA REGIÃO  No resto da região, o saldo da balança foi fortemente negativo - nos casos de Guaramirim e Schroeder - ou timidamente positivo por conta da nulidade das importações, em Corupá e Massaranduba. Guaramirim registrou crescimento de 116% nas importações, que, somando US$ 4,755 milhões, ficaram 32 vezes maiores do que suas exportações, de US$ 147,3 mil - 43,22% abaixo do obtido em janeiro de 2017. Quase 80% destas importações foram matéria-prima, primariamente composta por lâminas de aço inoxidável, no total de US$ 3,582 milhões. O saldo encerrou em um déficit de US$ 4,608 milhões. Também com saldo negativo, Schroeder exportou 71,82% menos do que exportou no primeiro mês do ano passado: em 2017, foram US$ 157,4 mil, contra US$ 44,3 mil este ano. Já as importações ficaram 252% maiores, passando de US$ 275,4 mil para US$ 971,8 mil. Quase 89% das importações foram fios e linhas para fins industriais. O município fechou o mês com déficit de US$ 927,4 mil. Corupá e Massaranduba não registraram importações no período, o que também havia acontecido em 2017, no caso de Massaranduba, que registrou suas primeiras importações em abril. Já Corupá havia registrado US$ 1,4 mil em importações no primeiro mês do ano passado. O volume de exportações das duas cidades cresceu em relação ao mesmo período do ano passado: somando US$ 321,1 mil, Massaranduba exportou 134,18% a mais do que em janeiro de 2017, com US$ 139,8 mil. Por sua vez, Corupá exportou US$ 52,5 mil, 6,92% a mais do que os US$ 49,1 mil de 2017. ESTADO E UNIÃO REGISTRAM CRESCIMENTO EM IMPORTAÇÕES E EXPORTAÇÕES  Santa Catarina e Brasil registraram crescimento tanto nas importações quanto nas exportações. Santa Catarina encerrou o mês com saldo negativo, de US$ 678,291 milhões. As importações cresceram 29,79% em comparação ao mesmo período de 2017, totalizando 1,269 bilhão, enquanto as exportações subiram 4,84%, somando US$ 591,314 milhões. Já o país fechou o mês com saldo positivo, de US$ 2,768 bilhões. As importações do Brasil somaram no mês US$ 14,199 bilhões, 16,4% a mais do que em janeiro passado, enquanto as exportações registraram variação de 13,8%, somando US$ 16,967 bilhões.
×