Balança comercial de Jaraguá do Sul segue em superávit mesmo em meio à pandemia
Balança comercial de Jaraguá do Sul segue em superávit mesmo em meio à pandemia

O cenário combinado de pandemia, retração macroeconômica nacional e alta do dólar tem se refletido na balança comercial de Jaraguá do Sul, que mesmo com queda nas exportações, segue superavitária, com saldo de US$ 116,08 milhões.

Ao mesmo tempo, o padrão registrado pelas importações e exportações não demonstram risco de que o município reverta a tendência superavitária - apenas de que o saldo não seja tão positivo quanto outrora.

No mesmo período do ano passado, o superavit era de US$ 165 milhões. Ambos resultados, no entanto, longe do pico histórico, em 2011, de US$ 346 milhões.

Neste ano, a balança comercial de Jaraguá do Sul já registrou uma queda de 19,6% nas exportações e 13,8% nas importações, ambas em decorrência da crise global causada pela pandemia de Covid-19 desde março.

Contudo, o superavit se manteve mesmo em meio à crise. Apenas em setembro, as exportações registraram 24% de queda enquanto as importações registraram queda de 9,4%.

A balança foi prejudicada também pela variação do dólar - cotado nesta terça-feira a R$ 5,55- que prejudicou o valor das exportações e aumentou os gastos com importações. O município responde por 4,8% de todas as exportações de Santa Catarina.

O consumo baixo, redução na produção em alguns setores e a alta do dólar, combinados, levaram a uma queda perceptível na demanda por produtos importados.

Destaque na exportação estadual

O município se mantém entre os 100 maiores importadores e os 100 maiores exportadores do país, em ambos os rankings respondendo por 0,2% da movimentação nacional. É o 94º maior exportador e o 97º maior importador brasileiro para o período.

Foram US$ 358,35 milhões em produtos exportados no período, mantendo a posição no ranking como o 4º maior volume do estado, atrás apenas de Joinville, São Francisco do Sul e Itajaí - os dois últimos, portos exportadores que se beneficiam de movimentações de outros municípios.

O volume segue a tendência histórica, liderado pelo setor de bens de capital, com motores e geradores elétricos respondendo por 69% das exportações no período.

Foram US$ 248 milhões em exportações destes bens, uma soma que é US$ 61 milhões menor que a registrada no ano passado.

Já as importações somaram US$ 242,28 milhões, lideradas pelo setor de maquinário e seguido pelos setores plásticos, siderúrgico e têxtil. Quase um terço destas vem da China, que responde por 31,9% das importações.

O país asiático é o único a ter mais de 10% de participação nas importações.

No mesmo período do ano passado, foram US$ 446 milhões em exportações e US$ 281 milhões em importações.

Exportações e importações de Jaraguá do Sul em dados

  • Exportações 2020 até agora - US$ 358,35 Milhões
  • Importações 2020 até agora - 242,28 US$ Milhões
  • Saldo 2020 até agora - 116,08 US$ Milhões (superavit)
  • 4º lugar no ranking de exportações do Estado
  • 96º lugar no ranking de exportações do Brasil
  • 9º lugar no ranking de importações do Estado
  • 95º lugar no ranking de importações do Brasil

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul