Aprovada nesta quinta-feira (15), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022 prevê um salário mínimo de R$ 1.147, aumento que não chegaria a compensar a inflação.

Atualmente, o salário mínimo está em R$ 1.100 - o aumento seria de 4,7%, 1,2 pontos percentuais abaixo da projeção de inflação do ministério da Economia, de 5,9%.

O valor está muito aquém do ideal: segundo estudos, o salário mínimo ideal subiu para R$ 5.351,11 em maio de 2021. O dado é da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese)

Já a estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) para o ano que vem ficou em 2,5% e taxa básica de juros média em 4,7%. No entanto, na visão do relator, Juscelino Filho, a estimativa é conservadora e existe a possibilidade de os números serem mais otimistas, a depender do crescimento da economia.

O ajuste do mínimo vem no mesmo pacote que o aumento estratosférico do fundo eleitoral: o texto aprovado prevê um salto dos atuais cerca de R$ 2 bilhões para mais de R$ 5,7 bilhões - um aumento de 185%, quase 40 vezes o percentual de ajuste do mínimo.