A formação de Santa Catarina e a transformaram no que ela é hoje está no 3º fascículo do Atlas Geográfico do Estado, lançado em Florianópolis. O livro, que também está disponível em pen-card e no site da secretaria do Planejamento (SPG), tem mapas, fotos raras, dados históricos, análises sobre a complexidade da formação social do território catarinense e projeções populacionais para 2050.

 “O Atlas Geográfico mantém memória de Santa Catarina. Sem documentos como esse, perderemos materiais antigos e relevantes para o Estado. O conhecimento está nessas páginas”, afirmou o secretário do Planejamento, Francisco Cardoso de Camargo Filho.

O material foi produzido pela Secretaria de Estado do Planejamento, através da Diretoria de Estatística e Cartografia (Dege), em convênio de parceria técnica com a Udesc.

“Este é um trabalho coletivo e intenso de pesquisa, que reuniu profissionais que trabalharam nas fotografias e na elaboração dos mapas. Sem falar na colaboração voluntária dos melhores pesquisadores das temáticas”, disse a organizadora da obra, Isa de Oliveira Rocha.

O fascículo é dividido em nove capítulos, escritos por estudiosos da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade do Vale do Itajaí (Univali), Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

A primeira edição do Atlas Geográfico data de 1958 | Fotos Mauren Rigo/SPG/Divulgação

Primeiros atlas de SC

A primeira edição do Atlas Geográfico data de 1958 e foi o primeiro documento do gênero no Brasil, tornando-se modelo para elaboração de atlas similares em outros estados.

Ainda foram publicadas edições em 1986 e 1991, sempre com o intuito de manter atualizados os dados cartográficos do Estado de Santa Catarina e fornecer informações adequadas às necessidades dos órgãos públicos e dos cidadãos.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?