Com o objetivo de conectar as pessoas que procuram emprego com as empresas que estão ofertando vagas, além de proporcionar capacitações, a plataforma do Movimento Santa Catarina pela Educação tem contribuído com a inserção do jovem no mundo do trabalho. Dados da plataforma e os desafios para o próximo semestre com foco na oferta do ensino profissionalizante foram apresentados nesta quinta-feira (29) em reunião virtual do Movimento.

“Os desafios da educação profissional serão vencidos com apoio e trabalho de todos os envolvidos. O Movimento chamou a atenção na sociedade para educação e continuamos as ações com novos direcionamentos. A plataforma apresentou importantes resultados e os dados que analisamos alertam para importância de trabalhar a educação profissional, pois estamos com uma demanda muito forte”, enfatiza o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar.

A ideia é apresentar cursos de curta duração, de áreas específicas, oferecidas pelas entidades do Sistema S, instigando as pessoas a darem continuidade no seu desenvolvimento, por meio de cursos de qualificação e técnicos de nível médio, assim como analisar as profissões atuais e futuras dos principais setores econômicos para a elaboração de cursos que atendam a demanda.

Entre os desafios, incentivar os estudantes a optar pelo ensino técnico profissionalizante, valorizar a educação profissional e promover a capacitação e a inserção dos jovens do ensino médio no mercado de trabalho. Outro foco é a elaboração de um documento com as bases para a construção do Plano de Desenvolvimento de Pessoas mais assertivo em relação à qualificação dos trabalhadores para o alcance de melhores resultados nos negócios, bem como a proposta de processo seletivo com recrutamento baseado em competências.

“Queremos contribuir para o desenvolvimento social e econômico do nosso Estado, por isso nosso foco agora será o ensino profissionalizante como estratégia competitiva, agregando valor econômico às empresas e valor social às pessoas. Cerca de 16% dos jovens catarinenses entre 16 e 29 anos não trabalham e nem estudam e 30% não concluiu o ensino médio até os 19 anos. Precisamos resgatar esses jovens e dar oportunidade”, destaca o diretor Regional do SENAI e diretor de Educação e Tecnologia, Fabrizio Machado Pereira.

De acordo com a presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-SC), Adriana Rodrigues Machado Thomé, o mercado procura por pessoas qualificadas. “Precisamos investir tanto na educação profissional quanto na educação básica. O Movimento busca melhorar os indicadores educacionais e com o formato de trabalho, que reúne força e união das entidades envolvidas, teremos mais resultados. Necessitamos apresentar os indicadores que interessam às organizações para que tenham uma visão mais ampla sobre o estado”, comenta.

Plataforma do Movimento Santa Catarina pela Educação

  • 6 meses de operação
  • 3 focos: cadastro de currículo, oferta de trabalho e registro das capacitações online gratuitas
  • 307 mil visualizações
  • 3.200 currículos cadastrados
  • Mais de 4.460 oportunidades cadastradas, sendo mais de 2.400 oportunidades de trabalho abertas neste momento: 67% na área da indústria; 32% comércio e serviço; 1% transporte.
  • Mais de 50 cursos ofertados
  • Cerca de 800 conexões, ou seja, vagas ofertadas foram preenchidas por profissionais que tinham o currículo cadastrado
  • Plataforma personalizada para atender as demandas dos municípios, sendo implantada em Florianópolis e Caçador, e em fase de implantação em Imbituba.