Foto: Simon Dawson/Reuters
Foto: Simon Dawson/Reuters

Após quase 50 anos em atividade no Brasil, a japonesa Sony fechará sua fábrica na Zona Franca de Manaus no começo do ano que vem e encerrará parte de suas atividades no Brasil.

O fechamento da fábrica de Manaus foi anunciado em um comunicado aos varejistas, conforme conta o site NeoFeed e o jornal Estado de São Paulo. A fábrica da empresa em Manaus opera há 48 anos.

Segundo o informe, as atividades fabris estão previstas para serem finalizadas em março de 2021 - quando se encerra o ano fiscal no Japão. As vendas de equipamentos de som, câmeras e de TVs serão interrompidas em meados de 2021.

“Informamos que o Grupo Sony decidiu fechar sua fábrica em Manaus ao final de Março de 2021 e interromper, em meados de 2021, as vendas de produtos de consumo pela Sony Brasil Ltda, tais como TV, áudio e câmeras, considerando o ambiente recente de mercado e a tendência esperada para os negócios. A decisão visa fortalecer a estrutura e a sustentabilidade de seus negócios, para responder às rápidas mudanças no ambiente externo”, diz o comunicado publicado no Twitter.

O comunicado é assinado por Clóvis Letie, gerente sênior de operações da companhia, que também se disponibilizou para agendar reuniões e compartilhar mais detalhes sobre as alterações aos parceiros da fabricante.

A empresa não irá abandonar o mercado brasileiro por completo.

O escritório de operações para a Sony Computer Entertainment, a divisão de videogames da empresa, deve se manter aberto - mas segundo o Tecnoblog, as vendas do Playstation 5 serão realizadas através de um distribuidor, sem produção local.

A movimentação vai na direção contrária dos concorrentes neste setor, com a Microsoft mantendo e a Nintendo retomando suas operações no Brasil.

Outros serviços seguirão no país, mantendo atendimento para garantia e da assistência técnica aos produtos da fabricante.

“Importante esclarecer que os demais negócios do grupo Sony no Brasil (Games, Soluções profissionais, Music e Pictures Entertainment) continuarão a manter sua forte atuação no mercado local”, afirma a empresa em comunicado.

Os setores de entretenimento tem virado cada vez mais o foco da companhia internacionalmente.

No balanço financeiro sobre o ano fiscal de 2019, a empresa registrou uma redução de 5% nas receitas e 21% nos lucros, citando as divisões de câmeras, TVs e celulares como alguns dos motivos para as quedas.

Em maio, a empresa alertou os investidores de que os resultados de 2020 poderiam ter queda de até 30% no faturamento.

A notícia vem logo após o anúncio da redução nos números previstos para o lançamento do Playstation 5.

Problemas na produção do chipset do aparelho levaram a nipônica a anunciar uma redução de 4 milhões de unidades na leva inicial do videogame, com produção projetada de 11 milhões de aparelhos até o fim do ano fiscal.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul