Há pouco mais de um ano, em 12 de março de 2020, a Associação Empresarial de Jaraguá do Sul realizava a primeira reunião com o objetivo de discutir, com segmentos organizados da região, uma forma de unificar o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

Nesta data, Santa Catarina teve as primeiras confirmações de contágio pela doença que, no dia anterior, recebeu a confirmação pela Organização Mundial da Saúde como situação de pandemia devido a ocorrências em vários países de todos os continentes.

Antes mesmo de ações do Governo do Estado em decretar em 17 de março o primeiro período de quarentena e as medidas de isolamento social, que depois se tornaram ainda mais restritivas a vários setores da sociedade, a Acijs liderou a formação de um comitê microrregional e a criação da Central de Prevenção.

Baseada em uma plataforma digital, a ferramenta mantém o objetivo de centralizar informações sobre a doença, disseminar medidas de orientação e reforçar os protocolos de segurança sanitária para empresas e comunidade.

A plataforma reúne informações de órgãos públicos e da iniciativa privada, além de notícias da imprensa e dados fidedignos que combatem fake news, além de incluir práticas preventivas e de contenção adotadas pelas empresas locais.

Além da Acijs, estão integradas à plataforma o Cejas (Centro Empresarial), Aciag(Guaramirim), Aciac (Corupá), Aciam (Massaranduba), Acias (Schroeder), ABRH, Prefeitura, Amvali, Scar, Hospitais São José e Jaraguá, SESI, SENAI, SESC, Católica SC, entre outras entidades com apoio técnico da agência Oodles.

Consolidada a Central de Prevenção e com a criação do Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde do COVID-19, por meio da Portaria nº 195 de 07/04/2020, do qual a entidade faz parte, e o município coordenando as ações de enfrentamento da pandemia, a Acijs também estruturou outras frentes.

Uma delas foi a criação da Central de Captações e Aquisições, por meio da qual a entidade instituiu um fundo para angariar e gerir recursos financeiros que estão servindo para a compra de materiais utilizados pelos dois hospitais filantrópicos da cidade – São José e Jaraguá – buscando as melhores soluções para compra e na logística dos mesmos, bem como de itens físicos, direcionando-os de acordo com as necessidades elencadas pela área da saúde.

Estes equipamentos incluem coisas como máscaras de proteção, equipamentos e outros materiais utilizados por médicos e profissionais que estão na linha de frente no combate ao vírus.

Esta Central de Captações e Aquisição também dá apoio às empresas na aquisição de testes rápidos, realizando cotações de preços junto a fornecedores e orientando nas compras, com isto estimulando um enfrentamento mais ostensivo ao coronavírus e, assim, ampliando os níveis de prevenção.

Outra iniciativa, em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas e apoio de outras entidades, viabilizou uma plataforma digital com o objetivo de subsidiar empreendedores com informações para a reativação da economia local.

Junto a instituições de crédito, a Acijs também atua na obtenção de recursos em linhas diferenciadas especialmente para capital de giro, e a esfera governamental a flexibilização de questões tributária e fiscal, entre outras ações.

Conforme o presidente da Acijs e do Centro Empresarial, essa articulação entre vários setores da sociedade civil com o poder público no enfrentamento da maior crise sanitária do País, e seus reflexos na economia e no dia a dia das pessoas, precisa ser permanente e contar com a colaboração de todos.

"Seja na articulação para se buscar alternativas que permitam às empresas superarem os momentos mais críticos da pandemia, ou interagindo com a comunidade em todas as frentes contra o vírus, especialmente nesse momento em que acompanhamos com expectativa a chegada de vacinas e o cumprimento do calendário de imunização, é fundamental manter um direcionamento único, somando forças para que o quadro de dificuldades se reverta e os impactos na comunidade sejam superados rapidamente", assinala.