O Indicador de Custos Industrias (ICI) subiu 1,3% na média em 2019, em comparação com a média de 2018.

Esse é o terceiro menor crescimento da série anual, atrás apenas da retração observada em 2009 e a expansão de 1% em 2017.

A mudança moderada ocorreu devido ao baixo aumento do custo com pessoal e à queda no custo com capital de giro e do custo tributário.

“O crescimento moderado dos custos é bem-vindo, especialmente após o indicador ter apresentado o maior crescimento da série história em 2018”, aponta a pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O indicador mostra que, em 2019, os custos industriais cresceram menos que os preços dos manufaturados no Brasil, o que permitiu um aumento na lucratividade da indústria de uma maneira geral.

O dado também revela que o custo com pessoal subiu 2,1% no ano passo se comparado com o ano anterior. Esse é o segundo menor crescimento do indicador desde o início da série anual, em 2006, atrás apenas do 1,3% registrado em 2018.

Em 2019, a queda média de 8,7% no custo com capital de giro contribuiu para a contenção dos custos industriais no ano. Esse é o terceiro ano que esse componente apresenta retração, embora o ritmo de queda venha desacelerando, tendo passado de -20,9% em 2017, para -15,5%, em 2018, e chegado a -8,7% em 2019.

Os dados mostram uma redução nos custos de empréstimos, mesmo com uma grande diferença entre a taxa básica de juros (Selic) e a taxa aplicada pelos demais bancos.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul