Exposição Individual Viva é aberta em Criciúma

Foto: Divulgação/FCC

Por: OCP News Criciúma

13/10/2023 - 16:10 - Atualizada em: 13/10/2023 - 16:30

Com um leque amplo de possibilidades para refletir sobre a arte, a “Exposição Individual Viva”, de Raquel Ávila, iniciou nesta semana. A inciativa é promovida pela Prefeitura de Criciúma, por meio da Fundação Cultural de Criciúma (FCC), e está sob a curadoria do artista e ex-presidente da FCC, Edi Balod, além de contar com a expografia de Marcos Dagostin. As obras poderão ser prestigiadas de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h, até o dia 9 de novembro, na Galeria de Arte Contemporânea Willy Zumblick, no Centro Cultural Jorge Zanatta.
“A exposição da Raquel traz todo o lado intimista, porque são as experiências e vivências da artista. É uma iniciativa inovadora, pois há misturas de vários sentidos em uma única exposição: visual, auditivo, olfato e, em alguns casos, o tato. Tudo isso, na Galeria de Arte, cria uma alquimia, um ambiente extremamente lúdico, intimista e inovador”, pontua o presidente da FCC, Joster Favero.
De acordo com a artista plástica Raquel Ávila, a recepção da exposição foi ótima, com a entrega de uma conexão com o público.
“Todos se surpreenderam com o que eu estava apresentando. Eu também fiquei surpreendida. Então, está sendo uma experiência maravilhosa”, conta. Entre os seus convidados, estavam pessoas do mundo da arte, decoradores, arquitetos, formadores de opinião, além do público em geral. “Foi muito gratificante receber um feedback positivo das obras decorativas e das instalações, onde a gente gera um pouco mais de reflexão”, finaliza a artista.
Um viva ao lado artístico
Aos 50 anos, Raquel decidiu iniciar sua trajetória na arte e fez uma parceria com a FCC para expor seus trabalhos.
“Eu fiz uma releitura como se fosse o meu laboratório, o meu laboratório de experiências, onde os meus estudos acabam fluindo em relação as coisas da natureza, as tintas, os experimentos”, revela a artista.
Favero frisa que a FCC possui o papel de promover a divulgação e incentivar todas as expressões artísticas e culturais dos cidadãos criciumenses.
“A FCC está buscando a sua origem, ao longo da sua essência, que é atender as demandas locais para expor, divulgar e fomentar a cultura local. Este tem que ser o nosso papel decisivo durante todo o ano, para que mais artistas, além do cenário cultural da nossa cidade, se sintam contemplados e incentivados a expor suas obras”, destaca.
Viva! O Fim de um Ciclo e o Início de uma Era
A artista definiu o nome da sua exposição com sentido amplo e aberto, sendo várias possibilidades para o expectador refletir, entre elas, podem ser escolhidas o fato de estar vivo. As obras expostas possuem técnicas de fotografia, pintura em aquarela, pintura de acrílica em papel e em telas. Ao todo, são cinco salas ocupadas e, além dos quadros tradicionais, existem duas apropriações de espaços, que contam com instalações.