Serviço de Famílias Acolhedoras busca mais adesões em Jaraguá do Sul

Foto: Divulgação PMJS

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

29/08/2023 - 10:08 - Atualizada em: 29/08/2023 - 11:55

A Secretaria de Assistência Social e Habitação da Prefeitura de Jaraguá do Sul inicia uma campanha para maior adesão ao Serviço de Famílias Acolhedoras. Atualmente, 10 famílias estão cadastradas, mas o objetivo da pasta é ampliar esse número. A gerente da Proteção Social de Alta Complexidade, Vane Maria Dorneles Duarte, ressalta que esse serviço de acolhimento oferece proteção temporária para uma criança ou grupo de irmãos em ambiente familiar. Isso possibilita atendimento individualizado e preserva o direito à convivência familiar e comunitária.

“Essas famílias são selecionadas e preparadas para oferecer atenção adequada às crianças e adolescentes, proporcionando segurança e afeto em um momento crítico de suas vidas”.

Em Jaraguá do Sul, o serviço é coordenado pela psicóloga Nathália Bicarato Gonçalves, com outros dois profissionais na equipe: um psicólogo e uma assistente social.

“Em anos anteriores, já chegamos a atender simultaneamente 15 crianças/adolescentes”, relembra Nathália. Ela acredita, no entanto, que essa oscilação no número de famílias envolvidas é comum. “A gente depende da disponibilidade das famílias, e cada uma delas tem suas dinâmicas. A pandemia também pode ter contribuído para a diminuição da adesão.”

Experiência

O casal João e Silvana Ribeiro Lima Máximo também têm bastante experiência com este serviço de acolhimento. “Aqui em casa, já acolhemos crianças de três a 17 anos. Muitas pessoas não entram no Serviço porque dizem que crianças dão trabalho. Realmente dão trabalho, mas isso depende muito do ponto de vista. Acho que cada um deve fazer sua parte para garantir o futuro dessas crianças”, alega Silvana, enquanto olha, ao lado do marido, um álbum de fotos com algumas das crianças que acolheram.

Quem pode acolher – Para se cadastrar no serviço, as famílias voluntárias precisam atender aos seguintes pré-requisitos: residir no município, ser maior de 21 anos, ter disponibilidade afetiva e emocional, haver concordância de todos os membros do núcleo familiar, não estar cadastrado no Cadastro Nacional de Adoção e não possuir antecedentes criminais. Salienta-se que todas as configurações familiares são aceitas, não havendo restrição de sexo ou estado civil. As famílias passarão por um processo de capacitação e também por estudo psicossocial realizado pelo serviço. Essas etapas irão avaliar as motivações, disposição, desejo e habilidades do núcleo familiar para acolher.

O acolhimento familiar é uma das medidas de acolhimento previstas em lei para casos de crianças e adolescentes com direitos violados ou ameaçados, seja por ação ou omissão do Estado, dos pais ou responsáveis, ou pela própria conduta. Ao contrário da adoção, tem caráter provisório e excepcional, visando à reintegração familiar ou, em último caso, encaminhamento para a família substituta.

Como participar

Para participar, entre em contato com a equipe técnica do Serviço de Acolhimento em Famílias Acolhedoras pelos telefones 3370-5404 (WhatsApp), 3274-5119, 3274-5120, 3274-5171, ou pelo e-mail familiasacolhedoras@jaraguadosul.sc.gov.br e obtenha mais informações.