Saiba quais são os efeitos do cigarro eletrônico na sua boca

Foto: Imagem ilustrativa/Pixabay

Por: Elisângela Pezzutti

31/10/2023 - 13:10 - Atualizada em: 31/10/2023 - 13:12

O cigarro eletrônico ou vape tem se tornado uma tendência para ajudar os fumantes a deixarem o cigarro convencional. Mas, apesar de muitas pessoas acreditarem que ele seja uma alternativa mais segura quando comparada ao tabagismo, os seus efeitos negativos para a saúde já começam a aparecer. Além de causar danos ao pulmão, o vape também pode prejudicar dentes e gengivas.

O vape não produz fumaça de tabaco, mas fornece nicotina aos pulmões por meio do vapor. E embora muitos afirmem que esse vapor produzido pelos cigarros eletrônicos é inofensivo, ele possui partículas ultrafinas que contêm produtos químicos tóxicos e metais pesados ​​que são prejudiciais ao organismo. Muitos deles estão ligados a doenças respiratórias, doenças cardíacas e até câncer.

Infelizmente, as complicações não param por aí. Pesquisas também apontam que o vape pode ser igualmente prejudicial à sua saúde bucal, afetando dentes e gengivas.

Veja as complicações que o cigarro eletrônico pode ocasionar na sua boca:

Retração gengival: a nicotina reduz o fluxo sanguíneo, o que pode deixar suas gengivas sem os nutrientes que precisam. Isso pode danificar seu tecido, levando à retração gengival.

Sensibilidade: a nicotina aumenta a sensibilidade dental.

Boca seca: a nicotina reduz a produção de saliva, aumentando a produção de bactérias nocivas e a probabilidade de cárie dentária, doenças gengivais e mau hálito.

Bruxismo: a nicotina atua como estimulante muscular, o que pode causar ranger de dentes, desgastando o esmalte dental e resultando em dores na mandíbula e na cabeça.

Doença gengival: a nicotina pode causar inflamação e inchaço nas gengivas.

Se você não consegue abandonar o hábito de fumar, é fundamental manter uma boa higiene bucal para proteger seus dentes das complicações do vape. Além de escovar e usar fio dental em casa diariamente, visite seu dentista pelo menos duas vezes por ano para uma limpeza e avaliação.

*Com informações do portal iG