Projeto da Amvali é um dos vencedores da 24ª edição do Prêmio Fritz Müller

Da esq. para direita: diretora da Amvali, Juliana Demarchi, engenheira florestal, Karine Holler, e o coordenador da Procuradoria Jurídica do IMA, Cláudio Soares da Silveira | Foto: Divulgação

Por: Elisângela Pezzutti

23/11/2023 - 17:11 - Atualizada em: 28/11/2023 - 19:19

O ‘Projeto Mananciais’, que tem por objetivo recuperar nascentes e matas ciliares da Bacia do Itapocu para produção de água, desenvolvido pela Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali), foi um dos vencedores do 24º Prêmio Fritz Müller, promovido pelo Governo de Santa Catarina, por meio do Instituto do Meio Ambiente (IMA).

A premiação tem por objetivo reconhecer empresas e organizações que desenvolvem projetos em prol do meio ambiente no estado e a entrega dos troféus aos vencedores foi realizada nesta quarta-feira (22), no salão principal do Lira Tênis Clube, em Florianópolis. A edição deste ano teve recorde de inscrições com a participação de 125 projetos ambientais, sendo selecionados 12 cases vencedores e 2 menções honrosas.

O prêmio contemplou 12 categorias: Agricultura Sustentável; Conservação de Insumos de Produção (Água); Conservação de Insumos de Produção (Energia); Conservação de Recursos Naturais e Vida Silvestre; Controle da Poluição; Educação Ambiental; Gestão Ambiental; Projetos Socioambientais; Reciclagem; Recuperação de Áreas Degradadas; Resíduos Sólidos; e Turismo Ecológico e Sustentável.

Sobre o Projeto Mananciais

A engenheira florestal, Karine Rosilene Holler, coordenadora técnica do projeto, explica que o trabalho visa recuperar a vegetação nativa em áreas de preservação permanente de nascentes e de cursos d’água da região Nordeste de Santa Catarina.

Os beneficiários diretos do projeto foram os pequenos proprietários e agricultores familiares do Vale do Itapocu, localizados em áreas de mananciais que abastecem os municípios de Jaraguá do Sul, Corupá, Schroeder, Massaranduba e Barra Velha.

Apesar de grande resistência dos agricultores em abondarem suas principais áreas produtivas para recuperação das matas ciliares, foram assinados 122 termos de compromissos, recuperados 40,8 hectares de matas ciliares conforme as metragens do novo código florestal, plantadas 8.426 mudas de árvores nativas, construídas 2.283 metros de cercas e recuperadas 22 nascentes.

“A nossa execução direta no projeto foi de 2018 a 2021, mas os beneficiários continuam fazendo manutenção das áreas em recuperação, com as roçadas e replantios de árvores”, informa Karine Holler.

Os beneficiários diretos do projeto foram proprietários de imóveis rurais, totalizando 107 famílias. Indiretamente, as ações ambientais beneficiaram quase 316 mil habitantes da região do Vale do Itapocu.

Resultados alcançados

-8426 mudas de árvores nativas plantadas;
-40,8 hectares de matas ciliares recuperadas;
-2283 metros de cercas construídas;
-32 palestras em escolas municipais e estaduais nos sete municípios que compõe
a Amvali;
-23 reuniões com entidades representativas, como associações, cooperativas,
colegiados, conselhos, comitês.
-122 termos de compromisso assinados com os beneficiários;
-82 espécies arbóreas utilizadas;
-22 nascentes recuperadas;
-1 Plano Regional de Pagamentos por Serviços Ambientais elaborado;
-3.000 alunos e professores capacitados sobre a importância da preservação e
recuperação das matas ciliares;
-600 visitas nas propriedades rurais

Reconhecimento

“Ficamos muito felizes em receber este que é o maior prêmio ambiental do estado, e já é o segundo prêmio do Projeto Mananciais que a gente recebe – o primeiro foi o ‘Onda Verde'”, no ano passado, destaca Karine. “Este prêmio é uma homenagem também para todos os agricultores e proprietários dos sítos e imóveis que participaram com a gente do projeto. Eles são os nossos grandes incentivadores, pois é um trabalho feito para o bem comum, para proteger os nossos rios e a água da região, evitando a erosão nas margens dos rios e diminuindo os efeitos das enchentes e inundações, que é um dos grandes objetivos da recuperação das matas ciliares”, ressalta ainda.

A engenheira também menciona que o prêmio é um incentivo “para que nós, técnicos, continuenos a buscar recursos para elaborar este tipo de projeto ambiental para a nossa região e também para os prefeitos e gestores públicos, para que apoiem cada vez mais este tipo de projeto”.

Apoio

O Projeto Mananciais tem o apoio das prefeituras de Jaraguá do Sul, Schroeder, Corupá, Massaranduba e Barra Velha, Comitê Itapocu, Ministério Público de Santa Catarina, Fundo Nacional do Meio Ambiente, Ministério do Meio Ambiente e Serviço Florestal Brasileiro.