Primeiro dia da Bienal do livro é marcada por noite de autógrafos e homenagens à Hungria

Foto: Divulgacão

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

20/10/2023 - 16:10 - Atualizada em: 20/10/2023 - 16:28

Uma atmosfera de entusiasmo e expectativa marcou o primeiro dia da Bienal Internacional do Livro de Jaraguá do Sul, junto à Scar. A cerimônia de abertura, que aconteceu na noite de quinta-feira (19), celebrou o ponto de partida oficial da programação, que vem oferecer mais de dez dias de atividades culturais gratuitas para todos os públicos. Este ano, a Bienal une uma abordagem contemporânea, explorando temas em alta no Brasil e no mundo, e envolvendo o assunto central “Como viver juntos”. Na solenidade, autoridades lembraram que um dos grandes propósitos do evento literário é justamente promover conexões entre a cultura e o empreendedorismo aos participantes, enaltecendo duas características emblemáticas de Jaraguá do Sul.

Foto: Divulgacão

Para o presidente do Conselho de Administração da Scar Giuliano Donini, a afirmação do tema “Como viver juntos” para Jaraguá do Sul não é uma pergunta, é uma declaração. “Muitas cidades perderam esse aprendizado. Nós somos um exemplo de uma comunidade que sabe como fazer isso”, enfatizou.

Em sua fala, o prefeito de Jaraguá do Sul Jair Franzner, reforçou a ideia, confirmando que o conceito transparece na essência do evento. “A bienal já surge grandiosa, reunindo uma programação rica que demonstra a sinergia entre o poder público e a iniciativa privada”, declarou ao público presente. Edição Internacional e homenagens à HungriaJunto da ampla agenda de encontros, apresentações teatrais e de música, contação de histórias, lançamentos e vendas de livros, a edição 2023 traz um marco especial: é a primeira vez que o evento se torna internacional, sendo a primeira bienal internacional de Santa Catarina. Uma oportunidade única para comunidade jaraguaense e de toda região de se conectar com personalidades literárias do Brasil e no mundo, com destaque para a parceria e homenagens à rica herança imigratória húngara, presente no cotidiano do município. Segundo o diretor de Programação Artística e Internacional da Bienal, Carlos Henrique Schroeder, a homenagem à Hungria é considerada um ato de reparação histórica.

“Os húngaros chegaram aqui em 1800, ergueram a primeira igreja do município, ajudaram a construir e desenvolver Jaraguá do Sul, deixando um legado. É também para nos lembrar que a Hungria tem uma das literaturas mais potentes do mundo”, destacou.

O coordenador geral João Chiodini enfatizou a amplitude da programação, que inclui escritores catarinenses, brasileiros e húngaros, promovendo a aproximação entre crianças e adultos com o universo da arte e da cultura. “A Hungria compartilha dos mesmos ideais que temos aqui: a cultura em todas as suas formas. Em nome dos húngaros agradecemos a homenagem “, acrescentou o Cônsul Honorário da Hungria em Jaraguá do Sul, Amauri Francisco Steinmacher, convidado de honra da noite.

Foto: Divulgacão

Nath Finanças e Nuno Ramos na primeira noite de autógrafos

Os encontros literários do primeiro dia evidenciaram a fusão entre empreendedorismo e cultura presentes na programação. Em disputada palestra no Grande Teatro, a empresária, administradora, escritora e youtuber Nathália Rodrigues, mais conhecida pelo título de “Nath Finanças”, compartilhou insights práticos e acessíveis sobre investimentos e educação financeira, destacando a importância de se quebrar o tabu sobre o assunto “dinheiro” entre todas as classes sociais.

“Aperto no fim do mês é a realidade da maioria da população. É alarmante saber que mais de 70% das pessoas no Brasil estejam endividadas”, alertou.

Foto: Divulgacão

Numa abordagem descomplicada e olhar inclusivo, Nath deixou o recado aos jaraguaenses, que é crucial pensar agora naquilo que se quer alcançar com o dinheiro daqui a dois, cinco ou dez anos.

“A educação financeira é a chave para garantirmos um futuro mais seguro e próspero para nós mesmos e para nossas famílias”, destacou Nath.

Em paralelo, no Pequeno Teatro, o multi artista Nuno Ramos envolveu a audiência em um diálogo sobre processos criativos e experimentação, explorando a conexão entre materialidade e imaterialidade das suas obras, bem como o presente, passado e futuro de sua carreira. Com uma rica bagagem em passagens no universo literário, das artes plásticas, do cinema e teatro, ele apresentou seu novo livro “Jardim Botânico”, escrito durante período em que viveu na Alemanha, e discorreu metáforas sobre criar com ousadia, expressando sua visão única da arte sobre a interseção entre corpo e palavra.

“Eu gostaria que a escrita fosse física. Atuo na mistura desses dois extremos, que não convivem. Onde a palavra está no corpo, o corpo está na palavra. Esse é o meu lugar, a minha trajetória”, revelou.

Foto: Divulgacão

Programação intensa para o fim de semana

A maratona de apresentações, palestras, venda de livros e conexões literárias segue sem parar, até o último domingo do mês, dia 29. Ainda nesta sexta-feira, dia 20, o destaque fica por conta do tema empreendedorismo, que será abordado pela autora Clarice Martins Costa.

Com 30 anos de experiência na área de gestão de pessoas, a profissional é referência de renome na área empresarial, sendo atualmente presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Lojas Renner, integrante do Conselho Deliberativo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) e do Conselho de Administração do Grupo Panvel.

Já o sábado (21) vem reforçar os laços da edição com a Hungria na exposição dos autores catarinenses Fernando Boppré e Sidnei Lopes, que vão falar com a comunidade sobre a imigração e cultura húngara. No domingo (22), a conversa será sobre autoconhecimento com o psicanalista brasileiro Christian Dunker, vencedor do prêmio Jabuti na categoria Psicologia e Psicanálise. A programação completa, assim como os ingressos para as atividades, pode ser conferida no site oficial: www.bienaljaragua.com

Sobre a Bienal Internacional do Livro de Jaraguá do Sul

A Bienal Internacional do Livro de Jaraguá do Sul busca unir literatura, arte e dialogar com o perfil empreendedor da região, criando novas conexões. O evento é uma realização da Design Cultural, Scar e Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs).

A iniciativa tem ainda com patrocínio das empresas: Havan, Malwee, Indumak, Urbano. Tirol, Lunelli, Zanotti, Bold, Live, Condor e Maahs. Também conta com apoio municipal, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer de Jaraguá do Sul, da Prefeitura de Jaraguá do Sul. A promoção é do Programa de Incentivo à Cultura, através da Fundação Catarinense de Cultura, do Governo do Estado de Santa Catarina.