Porto Belo será a primeira parada de cruzeiros internacionais no Brasil

Foto: Prefeitura de Porto Belo

Por: Luan Tamanini

09/01/2024 - 15:01 - Atualizada em: 09/01/2024 - 15:03

Porto Belo realizou nesta terça-feira (9) o alfandegamento do navio MSC Musica, o que marca a retomada da nacionalização de cruzeiros estrangeiros na cidade após 22 anos. Com isso, o município está habilitado a ser a primeira escala nacional de viagens internacionais e a receber passageiros de todo o mundo.

O MSC Musica veio da Argentina com 2,5 mil turistas a bordo e passou por uma primeira escala-teste na cidade. Uma segunda escala está prevista para o dia 17 de janeiro. As duas experiências servirão para apontar eventuais adequações necessárias para a implementação permanente do serviço. Com isso, no próximo ano, Porto Belo poderá receber um número ainda maior de escalas internacionais.

Segundo a presidente da Fundação de Turismo, Zene Drodowski, o alfandegamento projeta Porto Belo a nível internacional, além de movimentar a economia do município. “Com esse avanço, nosso destino ganha em competitividade, prevendo mais do que o dobro de escalas e paradas de navios. Isso se traduzirá em um impacto significativo na economia local, estimado em cerca de 40 milhões de reais.”

Cada navio deve ser devidamente nacionalizado ao entrar no país, passando pela liberação dos órgãos competentes, como a Polícia Federal e a Receita Federal. Portos com alfandegamento, como agora é o caso de Porto Belo, têm maior facilidade em proceder com essas escalas, tornando as rotas de navegação mais fluidas e atraindo novas companhias para a cidade.

Retomada do alfandegamento

Com geografia privilegiada que permite a passagem de grandes navios e com mais de 20 anos de experiência em receber cruzeiros, Porto Belo é considerada a Capital Catarinense dos Transatlânticos. No entanto, o último navio alfandegado na cidade foi em 2002. Há sete anos, a Fundação de Turismo e Desenvolvimento Econômico trabalha para a retomada deste processo. Em 2023, a atuação foi intensificada visando a organização e estruturação do espaço.

Entre as ações estão a construção do Terminal Turístico de Passageiros junto ao Píer Municipal, adequação da operação no local, capacitação de servidor da área da Segurança Pública para atuar no Segurança Portuária, além de reuniões com os órgãos competentes que aprovam a atividade no país e demais grupos de discussão para auxiliar na reformulação da legislação voltada para as instalações portuárias de turismo.

Além disso, a parceria com a Associação das Construtoras e Incorporadoras de Porto Belo (ACIP) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Porto Belo) viabilizou a contratação de empresa especializada para a elaboração do estudo de avaliação de risco e do plano de segurança pública portuária (PSPP), que incluiu a estruturação do terminal com instalação de câmeras, detector de metais e outros equipamentos necessários para viabilizar o alfandegamento da Instalação Portuária de Turismo – IPTur de Porto Belo.

“A ACIP e a CDL uniram esforços porque o alfandegamento pode mudar completamente a realidade de Porto Belo e de todos os que vivem aqui. Então, hoje é o início desta nova história que deve trazer não apenas turistas de todas as partes do mundo, mas alavancar ainda mais o turismo e a economia do município”, ressalta Maycol Marini, presidente da ACIP.

De acordo com a Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (CLIA – Brasil), o gasto médio de passageiro por parada é de R$ 620 em todo o país. Dos navios nacionais que param em Porto Belo, 80% a 90% dos passageiros descem para visitar a cidade. A expectativa da CDL é que o total de desembarque de turistas internacionais mantenha a mesma média e que o consumo seja maior em comparação aos visitantes brasileiros.

“O alfandegamento possibilita a vinda de turistas com melhor poder aquisitivo e que consome mais nas paradas, o que direta ou indiretamente beneficia toda a cidade, tornando a economia mais pujante e ativa”, destaca Lúcio Vasconcellos do Amaral Abreu, presidente da CDL de Porto Belo.