Policlínica de Blumenau fará mutirão de prevenção e combate ao câncer de pele

Foto: Marcelo Martins

Por: Luan Tamanini

27/11/2023 - 13:11

Blumenau promove neste sábado (2) um mutirão de prevenção e combate ao câncer de pele na Policlínica Lindolf Bell. O evento ocorre das 8h às 15h, na sede da Policlínica, localizada na Rua 2 de Setembro, 1.212, bairro Itoupava Norte, e acontece em alusão à campanha nacional ‘Dezembro Laranja’, promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

No total, serão distribuídas 150 senhas no período matutino, a partir das 7h. Todos os participantes, inclusive os excedentes ao número de senhas, serão acolhidos por enfermeiros e, se apresentarem lesões suspeitas de câncer, passarão por um médico dermatologista no dia.

“O acesso se dará por demanda espontânea durante todo o sábado e, em caso de lesão suspeita, o usuário será encaminhado ao Ambulatório de Cirurgia para a realização da biópsia”, afirma a coordenadora da Policlínica, Marlene Feldhaus.

O mutirão é voltado a pessoas com feridas no rosto, orelha, couro cabeludo ou no corpo (que não cicatrizam); manchas com mais de três cores, irregulares e assimétricas, que sangram com facilidade; e com pintas de crescimento rápido.

Por outro lado, pessoas com vitiligo, micoses, verrugas ou ceratoses seborreicas não serão contempladas durante o mutirão.

Câncer de pele no Brasil

O câncer de pele responde por 35% de todos os diagnósticos da doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (Inca) registra, a cada ano, cerca de 190 mil novos casos. O tipo mais comum, o câncer de pele não melanoma, tem letalidade baixa e as chances de cura são de mais de 90%, quando há detecção precoce da doença, porém, seus números são altos.

Pessoas de pele clara e que queimam com facilidade quando se expõem ao sol têm mais risco de desenvolver a doença, que também pode se manifestar em indivíduos negros ou de fototipos mais altos, ainda que mais raramente.

Todos os casos de câncer de pele devem ser diagnosticados e tratados precocemente, inclusive os de baixa letalidade, que podem provocar lesões mutilantes ou desfigurantes em áreas expostas do corpo.

Marlene acrescenta que, felizmente, há diversas opções terapêuticas para o tratamento do câncer de pele não melanoma. “A modalidade escolhida varia conforme o tipo e a extensão da doença, mas, normalmente, a maior parte dos carcinomas basocelulares ou espinocelulares pode ser tratada com procedimentos simples”, finaliza.

Outros atendimentos

Paralelamente ao mutirão de prevenção e combate ao câncer de pele, a Policlínica Lindolf Bell terá atendimento para as consultas pendentes e previamente agendadas pelas unidades de saúde. Serão sete especialidades que terão expediente no dia 2: reumatologia, proctologia, otorrinolaringologia, endocrinologia, oftalmologia, cardiologia e neuropediatria.