Paciente descobre que não tinha câncer depois de dois anos de tratamento

Foto: Reprodução/Redes sociais

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

21/10/2023 - 10:10 - Atualizada em: 21/10/2023 - 10:17

Depois de um período de dois anos de tratamento para um câncer de pele que agora se provou inexistente, a britânica Megan Royle, de 33 anos, alcançou um acordo extrajudicial para compensação por parte de um hospital em Londres.

De acordo com informações do portal Sky News, Megan, uma maquiadora de teatro, foi diagnosticada com câncer de pele em 2019, quando médicos do Chelsea & Westminster Hospital alegaram que uma verruga em seu braço era, na verdade, um melanoma. Posteriormente, ela foi encaminhada para a unidade especializada em câncer no The Royal Marsden Hospital, também em Londres.

No decorrer do tratamento, Megan passou por sessões de imunoterapia, preservou óvulos devido às preocupações com sua fertilidade e enfrentou uma cirurgia que deixou uma cicatriz com quase 20 centímetros em seu braço, conforme reportou a BBC.

Foi somente em 2021, quando Megan precisou mudar de local de tratamento devido à mudança de residência, que a equipe médica revisou seus exames e descobriu que, na realidade, ela nunca teve câncer de pele.

Recentemente, Megan Royle conseguiu chegar a um acordo extrajudicial para ser compensada pelos dois anos de tratamento e pelos transtornos que sofreu desde o diagnóstico inicial.

Em uma declaração à imprensa local, seu advogado, Matthew Gascoyne, especializado em casos de negligência médica, enfatizou o profundo impacto psicológico que o diagnóstico errôneo causou à sua cliente.

Foto: Reprodução BBC

Em suas próprias palavras ao jornal britânico The Independent, Megan expressou alívio ao descobrir que estava livre do câncer, mas também ressaltou a intensa frustração e raiva que sentiu diante da situação.

“Você simplesmente não pode acreditar que algo assim possa acontecer, e até hoje não tive uma explicação de como e por que isso aconteceu. Passei dois anos acreditando que tinha câncer, passei por todo o tratamento e então me disseram que não havia câncer algum”, disse Megan Royle, maquiadora.

Em um comunicado enviado à Sky News, um representante da Royal Marsden NHS Foundation Trust expressou suas desculpas da seguinte forma: “Queremos oferecer nossas sinceras desculpas a Megan Royle pela angústia que ela experimentou em nosso hospital, e estamos aliviados por termos chegado a um acordo.”

A North West London Pathology, que é parceira do Imperial College NHS Trust, também emitiu uma declaração, dizendo: “Estamos profundamente entristecidos pela angústia causada a Megan Royle e pedimos desculpas sem reservas pelo erro cometido. Embora nenhum acordo possa compensar totalmente o impacto que isso teve, estamos satisfeitos por ter sido alcançado um acordo.”