Origem do nome: conheça a história da Ilha da Figueira

Por: Maria Luiza Venturelli

23/04/2020 - 17:04

O bairro Ilha da Figueira é conhecido por ser o maior do município de Jaraguá do Sul, sendo o mais populoso e responsável por abrigar empresas importantes, como a Raumak, MetalInox, Real Vidros e Indumak. O bairro também possui um comércio forte e em desenvolvimento, além de diversas atrações de lazer abertas ao público.

Misturando paisagens do ambiente rural com o urbano, a “Figueira”, como é chamada carinhosamente pelos moradores, faz ligação com os bairros Boa Vista, Águas Claras, Centenário, Centro, Vila Lalau e Vila Nova.

O nome “Ilha da Figueira” foi dado pelos primeiros colonizadores que chegaram na localidade vindos pelo rio Itapocu. Na época, o cenário era bem diferente, e na região em que exploradores e colonizadores desembarcavam, havia uma ilha com uma grande e majestosa figueira. Hoje em dia, com o assoreamento de um braço do rio Itapocu, a ilha e a árvore não existem mais. Porém, historiadores indicam que ainda é possível localizar no mapa onde a ilha ficava, próxima ao extinto e famoso Salão Vitória.

A Ilha da Figueira fica bem próxima do Centro, além de ter fácil acesso à BR 280, que leva para o litoral. Sendo assim, é um dos bairros mais bem localizados do município e ideal para morar. Oferece também toda a infraestrutura necessária para viver com tranquilidade e conforto, abrigando farmácias, escolas, restaurantes, academias, espaços de lazer e outros serviços importantes.

As ruas contam com ciclovias, assim como aparelhos de ginástica ao ar livre. Por lá, também é possível avistar os praticantes de voo livre, que saltam do Morro da Antena e pousam perto da escola Waldemar Schmitz.

Ainda que seja muito bem estruturado, o bairro não deixou de lado o ar residencial. Ou seja, ele oferece o suporte necessário com muita comodidade, mas mantém a tranquilidade de um bairro calmo e que preserva as raízes dos colonizadores.

A história na época da “Colônia Jaraguá”

Colônia Jaraguá foi o nome dado a Jaraguá do Sul na época da colonização da cidade. As terras onde hoje está Jaraguá do Sul faziam parte do dote do casamento da princesa Isabel, filha do imperador Pedro 2º, com o Gastão de Orléans, Conde d’Eu, em 1864. Amigo do casal, o engenheiro belga e coronel do Exército Brasileiro Emílio Carlos Jourdan ficou encarregado da demarcação das terras.

Durante o processo da demarcação das terras na época da colônia em Jaraguá do Sul, o engenheiro contratou ferreiros, marceneiros, carpinteiros, pedreiros, lavradores e outros profissionais para plantação da lavoura de cana-de-açúcar e a construção do “Estabelecimento Jaraguá”. O local era um engenho de açúcar, farinha de mandioca e de fubá, olaria e serraria inaugurado em julho de 1876.

Os primeiros moradores do bairro foram alguns dos trabalhadores de Emílio Carlos Jourdan, que se mudaram para a localidade após o fechamento do Estabelecimento Jaraguá, em 1888. A ideia de se mudar para lá surgiu porque as terras de Jourdan ainda pertenciam à princesa Isabel, já as terras à margem direita do rio Jaraguá eram estatais.

De onde surgiu o nome de uma das principais ruas do bairro?

A principal via que atravessa todo o bairro Ilha da Figueira e dá acesso à SC-108 em direção a Guaramirim e Massaranduba recebeu o nome de José Theodoro Ribeiro, que foi um dos mais importantes colonizadores da cidade.

Nascido em 1892, em Barra Velha, ele passou a viver em Jaraguá e comprou muitas terras onde hoje está o bairro. Foi ele o responsável por abrir caminho no meio da mata, para tornar possível a locomoção pela rua principal. Hoje é uma das ruas mais movimentadas da cidade.

Além da família Ribeiro, entre os grandes nomes de famílias que fizeram parte do desenvolvimento da região da Figueira, estão a família Drews, George e Krutsch.

Notícias no celular

Whatsapp